capela-do-alto-alegre

sábado, 19 de março de 2011 23:27

Capela do Alto Alegre realiza a finalíssma do Projeto Nossa Terra Nossa Cultura

O Evento cultural chega a sua terceira edição e mantém acesa a tradição de revelar talentos e dando oportunidade as pessoas que sempre sonharam se apresentar em público

Mais de duas mil pessoas, segundo a coordenação do evento, participaram na noite de sábado (19), na cidade de Capela do Alto Alegre, do encerramento da terceira edição do Projeto Nossa Terra Nossa Cultura, iniciado no primeiro ano da gestão do prefeito Claudinei Novato Xavier (PCdoB) “Dr. Nei”,  com o objetivo de abrir um espaço de divulgação para os inúmeros valores artísticos locais e ainda abrir um canal de divulgação de um estilo de música que não tem espaço na mídia tradicional.  Para o diretor de Cultura do município, Vandelson Dias, conhecido por Decinho, o festival já se consolidou no calendário de eventos e envolveu toda população, desde a zona rural até a sede, pois, desde o dia 09 de janeiro, sempre aos domingos, eram realizadas as etapas nos povoados, concretizando com fechamento no dia 19 de março, data comemorativa aos 26 anos de emancipação política do município. Neste dia também aconteceu o III festival de música popular com a participação de 17 duplas. “Este ano dobrou o movimento em relação aos anos anteriores”, declarou Decinho.

Prefeito entregou troféus e pousou para fotos ao lado de todos os participantes

O Projeto Nossa Terra Nossa Cultura 2011 começou pela comunidade de Cajuzeiro no segundo domingo do ano com muitas manifestações culturais e apresentação de violeiros do município e apresentações culturais da região, como samba, dança, aboiadores e causos.

Idealizador – O Projeto Nossa Terra Nossa Cultura foi idealizado pelo próprio prefeito Dr. Nei. Ele não é natural do município, porém já mora na comunidade há 22 anos, onde atua também como médico e já exerceu mandatos de vereador, sendo inclusive presidente da Câmara. “Nasci em Macaúbas, uma região com os costumes parecidos com esta região, mas minha visão de cultura veio dos tempos que estudei em Vitória da Conquista e lá eu já participava dos movimentos de valorização da música raiz”, contou o chefe do executivo.

Para Nei, este projeto se insere no contexto identificado pela pesquisa científica que entende a cultura local como elemento fundamental do desenvolvimento endógeno. “Esta é sua essência, a valorização da cultura de Capela do Alto Alegre como forma de inserir os agentes culturais no processo de desenvolvimento local e em contrapartida, de forma dialética, agir positivamente através da cultura nas dinâmicas desenvolvimentistas do Município, dando aos cidadãos e cidadãs locais a possibilidade de experimentar suas identidades através das manifestações culturais” afirmou o prefeito demonstrando conhecimento da importância da valorização da cultura.

Ainda de acordo com o prefeito, o município é rico em artistas e alguns deles já conseguiram projeção, a exemplo de Clóvis e Helena, que são músicos da Orquestra Sinfônica da Bahia e Leandro Costa, que no mundo da música é conhecido por Leo, que há sete anos é o tecladista da banda Chicana. “Este projeto é uma das atividades de valorização dos artistas locais. Nós também estamos desenvolvendo outro projeto que chamamos de “Capacita Tom”, onde oitenta jovens estão aprendendo tocar violão e alguns deles já tocaram no final deste festival”, relator.

Para o prefeito, não dúvida, que este movimento realmente vem se consolidando e no próximo ano será ampliado e, vai começar no segundo domingo de janeiro e o termino será no dia 17 de abril, quando o município completará cem anos desde a sua primeira casa, onde surgiu o povoado e que em 1985 foi emancipado do município de Riachão do Jacuípe. “De um modo geral, este movimento se tornou um importante espaço de divulgação, valorização e promoção da cultura do Município, trazendo os principais artistas e as mais vivas expressões da cultura local para o conhecimento das novas gerações. Com este espaço o resgatamos as identidades locais, das tradições culturais, a reflexão sobre o espaço vivido, a promovemos o lazer, a aproximação das novas gerações com uma parte esquecida e quase extinta da cultura municipal e valorizamos o que é verdadeiramente local em detrimento da cultura de mercado e estou consciente que objetivos foram alcançados”, concluiu.

Roteiro – Depois da abertura na comunidade de Cajueiro, as etapas seguintes aconteceram nas comunidades de lagoa das Flores, Campo Alegre, Beira rio, Capelinha, Bispador, Ipirai e Conceição no dia 13 de março, encerrando as atividades na zona rural.

As atividades no sábado começaram com os aboios de Zé de Zenaide, seguindo dos sambas brasileiros apresentador pelos grupos Cavaquinhos de Ouro e do Tanquinho, encerrando com as apresentações das músicas populares.  Dentre os artistas da terra, Lourival Silva de Souza, o tratorista da Prefeitura testemunhava na prática que o dote artístico do povo de Capela do Alto Alegre passa de “pai para filho”. Enquanto Louro, como é conhecido, cantava com seu companheiro as músicas consideradas raízes e bem sertaneja, seu filho Leonardo Costa, tecladista da Chicana, dava “uma palhinha” para quase todas as 17 duplas, tocando guitarra, dando um show a parte.

VEJA OUTRAS FOTOS

Por: Valdemí de Assis / fotos: Raimundo Mascarenhas



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.