Vândalo apedreja janela do Juizado de Pequenas Causas

A nova sede fica a Rua Duque de Caxias. O ato criminoso aconteceu por volta das 21h

Dois servidores do juizado de Pequenas Causas de Conceição do Coité, compareceram na manhã deste domingo (13) para verificar o estrago na janela, causado por um vândalo, que atirou uma pedra pesando aproximadamente 500g e quebrou um dos vidros. De acordo com um homem de pré- nome Jorge, o ato de vandalismo aconteceu por volta das 21h de sábado (12) e ele pessoalmente foi até a sede da 4ª Cia PM informar o ocorrido e o policial de plantão ficou de informar a guarnição para realizar diligência.

Os funcionários do órgão disseram também que não foi prestada a queixa na Delegacia na manhã deste domingo, que isso só poderia acontecer na segunda-feira. Não foi informado ao CN o motivo.

O vândalo atirou a pedra no vidro aleatoriamente, pois, o juizado está em processo de mudança e nem sequer o nome foi colocado na parede, embora alguns serviços já viessem sendo prestados na nova sede, que está instalada a Rua Duque de Caxias, vizinha a Secretaria Especial da Mulher.

Qualquer informação segura do autor do vandalismo pode ligar para 75 3262 1930 (juizado) 3262- 1980 Polícia Civil ou mesmo 190 PM.

Raimundo Mascarenhas

comentários Esconder »
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.
  1. Manoel: 
    Coité - 13 de março de 2011
    Nem bem a nova sede do juizado foi inaugurada e dois marginais praticam esse delito, perderam o respeito pelas instituições de credibilidade desse País. Será que é essa a retribuição que esperamos da sociedade?
veja também Ver todos »
Traficante que convivia com a jovem está preso e pai resgatou a filha.
Após a consumação do homicídio o suspeito evadiu-se a bordo de veiculo Gol de cor prata e tomou destino ignorado.
O pai da jovem disse que não tem certeza se ela foi morta em Feira ou se aconteceu em outra cidade, pois ficou sabendo que a mãe do seu companheiro mora em Salvador, não descartando a hipótese de ela ter sido morta na capital.