conceicao-do-coite

terça-feira, 12 de abril de 2011 12:18

Prefeitura de Coité entrega 200 casas populares do Projeto Casulo

As casas possuem dois quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço, numa área de 27,5 metros quadrado.

O sonho da casa própria para mais de 200 famílias com renda cadastradas na bolsa família tornou-se realidade, na tarde de segunda-feira (11). A Prefeitura de Conceição do Coité e a Caixa Econômica Federal, por meio do Programa estabelecido pela resolução 460/2004, realizaram a entrega das 200 unidades habitacionais do Conjunto Casulo.

 

As ruas têm nomes de servidores públicos ja falecidos

Erguido no prazo de dois anos e quatro meses, no lado esquerdo do Bairro das Casas Populares, sentido  Comunidade de Patos, as casas possuem dois quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço, numa área de 27,5 metros quadrados.

 

As obras injetaram cerca R$ 1.400 milhão na economia local, o equivalente a R$ 7 mil,  por casa construída, gerando em média 100 de empregos na construção civil, durante este período.

Ao falar da entrega das casas, o prefeito Renato Souza (PP), relembrou que o ato também era sonho do ex-prefeito Éwerton Rios e foi resultado de um trabalho administrativo continuado. “Vertinho começou e nós continuamos com esforço dos secretários do nosso governo esta obra importante”, enfatizou o prefeito.

Souza reconheceu o esforço do ex-deputado Emério Resedá para conseguir junto ao Governo do Estado a contra partida de R$ 300 mil para viabilizar a obra.  A Prefeitura, com recursos próprios, construiu a infraestrtura dos meios-fios e projetou uma avenida com duas pistas e jardim no centro que serão concluidos posteriormente.

Ele lembrou que o déficit habitacional do município é de 3.076 casas e que em fase de conclusão 500 casas no Conjunto Cidade Jardim, baixando este índice para 2.876. “Nós estamos trabalhando para diminuir este déficit e contamos com a parceria neste sentido do governador Jaques Wagner e do ministro do nosso partido Mário Negormonte. Estamos captando recursos junto ao governo federal e estamos com mais de 25 projetos em tramitação. Estamos com a maior carteira de projeto no governo federal no território do sisal”, disse Renato Souza.

Segundo o superintendente da Caixa Econômica José Raimundo Cordeiro Júnior, existe um esforço para fazer este déficit chegar a nível que a sociedade suporte. “Isto aqui só foi possível por causa da parceria das três esferas do governo. Houve boa vontade de todos”, declarou Cordeiro.

 

Satisfação das contempladas

A doméstica, Maria Angélica Araújo, 53 anos, está deixando de pagar aluguel de R$120,00 na Rua Leopodino Ramos, 306, para mudar-se para Rua Josefa Bernardo, 20, no Conjunto Casulo. “A minha primeira oportunidade de morar no que posso chamar de minha casa” disse emocionada. Maria Angélica, viúva, cinco filhos, hoje casada com Catarino Pinheiro da Silva, 77 anos, sempre morou de aluguel, desde o primeiro casamento. “Foi uma vida de sofrimento. Os móveis estavam sempre folgados e não aguentávamos mais estas mudanças”, contou Aline Araújo de Jesus Aragão, uma das filhas. Ela e irmã Josefa Araújo disseram ao CN que vivenciaram esta situação ao longo da vida e só casaram depois que construíram suas casas para não continuarem o sofrimento de solteira. “Ninguém merece pagar aluguel. Isto não é coisa de gente”, disse Aline.

Camila Barbosa de Oliveira, 27 anos, moradora no Bairro Sonho Meu, vive de aluguel há onze anos e, emocionada, ao encontrar o prefeito Renato Souza, lhe deu um abraço e agradeceu pela casa. “Só sabe o que estou sentindo quem vive de pagar aluguel e não em um salário fixo mensal. Isso aqui é um milagre que esta acontecendo na minha vida”, desabafou.

O presidente da Associação dos Moradores dos Bairros das Casas Populares, Antônio Paulo Lopes Ferreira, “Toinho”, deu boas vendas as novas famílias e pediu para que todos pudessem viver em harmonia.

De acordo com o secretário de Ação Social, Aroldo Ramos, foi realizado todo um trabalho social de convívio, da utilização do lixo, preocupação com o meio ambiente, “enfim, como a socialização e as normas de utilização das casas, onde não se pode alugar ou vender. As casas são para moradia daquelas famílias carentes de teto”, disse ramos.

Autoridades fazem descerramento inaugural do conjunto habitacional

Ao lado esquerdo da nova avenida já existe um conjunto habitacional construído em 1988 em regime de mutirão. A obra na ocasião foi iniciada pelo então prefeito Hamilton Rios e concluída na primeira gestão de Éwerton Rios.

Ás casas Populares, como ficou conhecido o bairro, possui da infraestrutura básica e foi totalmente pavimentada, tem um campo de futebol, escola, igreja e foi instalado um comércio que visa atender as famílias destes dois projetos habitacionais.

Por: Valdemí de Assis / fotos: Raimundo Mascarenhas



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.