politica

segunda-feira, 25 de julho de 2011 12:05

Polêmica em Riachão: eletrificação é inaugurada às escuras

Para a realização da inauguração, quatro veículos em posições estratégicas iluminaram o ambiente com os faróis e um carro de som, que subistituiu ao sistema que havia sido montado para a banda e os discursos

Uma situação no minimo  inusitada aconteceu na noite de domingo (24), na Comunidade de Lagoa do Canto II, a 25 km da cidade de Riachão do Jacuípe, onde estava programado um ato de inauguração do sistema de energia elétrica, que beneficiará 48 famílias.

O comerciante Adailton Azevedo da Silva, 36 anos, proprietário de um bar na Comunidade, procurou amenizar a escuridão colocando na frente do seu estabelecimento um botijão conhecido como “Lampião” ou “Zé Gás”, que por muitos anos usou para clarear o interior do bar. “Não pensei que teria de voltar a usar e principalmente hoje, o dia da inauguração da nossa energia”, desabafou.

Mesmo com sistema funcionando há 90 dias, Adailton disse que este momento era esperado, pois este projeto havia sido muito prometido e por diversas vezes aconteceram reuniões na Associação Comunitária, até que Milton da Rodoviária agilizou e fez chegar até o conhecimento do Comitê Gestor do Programa no Estado e começaram a acontecer os passos até a concretização, resultando no beneficiamento das famílias.

Para o agricultor Mouraci Azevedo da Silva, 55 anos, a vida na comunidade mudou depois da energia e as casas da Comunidade, na maioria, já tem geladeira, aparelho de som, televisão e muito mais que gera conforto. “Era o sonho da gente”, disse Mouraci. Ele lamentou que houvesse a queda da energia e não soube explicar os motivos.

O evento foi organizado pelo suplente de vereador Antônio Milton de Oliveira Filho (PHS), mais conhecido por Milton da Rodoviária e foram convidados todos os líderes de partidos da oposição, além do deputado estadual Bira Corôa (PT). Tudo estava acontecendo perfeitamente bem, com a infraestrutura do evento, som, gambiarra, caminhão para palanque, montagem da banda, tudo pronto, quando exatamente ás 17h50, aconteceu à falta de energia, gerando um clima de ansiedade entre as pessoas, em especial os barraqueiros que foram trabalhar no evento. “Meu prejuízo é grande, pois tive que pagar transporte, comprar material e chego aqui acontece isto, faltou energia e o movimento de cliente caiu significamente”, lamentou o capeteiro Antônio Ramos dos Santos Júnior, residente em Riachão do Jacuípe.

Para o eletricista José Fernando Oliveira Filho, as canelas que ficam a 06 km do local do evento foram desativadas e segundo ele, por um profissional da área. “Para fazer isto tem que ter bastão, luvas de alta tensão, escada apropriada, cinto de segurança e tem que conhecer bem, pois o trabalho é perigoso, são 13.8 volts”, disse Fernando Eletricista.

Fernando disse ao CN que nada podia fazer para resolver o problema, pois o único bastão que tinha, havia emprestado ao eletricista da Prefeitura por volta das 15h. Questionado para qual finalidade emprestou o bastão, ele respondeu que não sabia e disse que pela primeira vez o eletricista da prefeitura havia tomado emprestado.

A coordenação do evento, tomando conhecimento do incidente, providenciou um carro de som e, com mais de duas horas de atraso, realizou o ato de inauguração. Para iluminar o ambiente foram colocados quatro veículos com faróis acesos em posição estratégica. 

Bira Corôa ficou revoltado com a situação –  O deputado Bira Corôa, que embora não tivesse recebido uma votação expressiva na ultima eleição, recebeu o convite de Milton e lá esteve para prestigiar a inauguração e ficou muito chateado com o que viu e no seu discurso classificou como ato de  covardia do gestor municipal. “Eu que não tenho medo de ameaças, pois meu compromisso é com a sociedade.

O parlamentar credenciou a falta de energia ao prefeito e isentou a suposta pessoa que havia desativado as canelas, pois naquele momento estaria com a consciência pesada por causar prejuízos aos comerciantes e constrangimento as pessoas que haviam se deslocados de suas casas para participarem da festa.

Convicto que o sistema de energia havia sido desativado, Bira utilizou do ditado popular que pagava um boi para não entrar na briga e não queria uma boiada para sair dela. “Vou acompanhar de perto toda gestão deste prefeito, que está perto de sair e fiscalizar tudo de forma bem detalhada. Sou seu calo, vou mesmo vê tudo de perto. Pensei que aqui tinha gestor, porém tem um perseguidor”, concluiu.

Culparam o prefeito – Estiveram presentes no evento a viúva de Walfredo de Matos, Tânia Regina Alves de Matos (DEM), a médica Gleide Maria de Oliveira Souza, o bancário Raimundo Carneiro (PT), o empresário Fernando de Dudu e Mateus Guimarães Martins (PT), prefeituraveis por meio de partidos da oposição. Nos pronunciamentos, eles culparam o prefeito Lauro Falcão pela falta de energia.           

Mateus Martins disse que o PT estava acostumado com as lutas e mesmo sem a energia naquele momento, ela voltaria e continuaria melhorando a vida do povo, pois “o PT trabalha para melhorar a vida das pessoas”, afirmou.

Para o vereador Fernando Sena (PP), da cidade de Serrinha, o ato foi de covardia e que a ditadura teria acabado, portanto não admitia acontecer coisas desta natureza. “Tenho boa amizade com Dr. Silvano, coordenador de energia do estado e vou levar ao seu conhecimento este fato. Vou também tomar as providências necessárias através do prefeito de Serrinha, Osni Cardoso, do deputado Rui Costa e vamos também conversar com João Leão, para dizer o que os aliados dele fizeram e pedir para que tenham mais educação e civilidade”, concluiu o vereador de Serrinha que disse ter ajudado eleger Laurinho, como é conhecido o prefeito, no seu primeiro mandato.

A média Gleide Maria, disse que o momento era de reflexão, pois alguém teria impedido a realização da festa para comemorar a conquista da chegada da energia. “Nós precisamos de sabedoria para escolher os próximos gestores”, disse a médica.

De acordo com Milton da Rodoviária, o que aconteceu foi falta de respeito com a Comunidade e prejuízo das pessoas que queriam ganhar um dinheiro extra, comercializando bebidas e comidas. “Tínhamos contratado uma banda e ninguém tem o direito de acabar com alegria do povo. A energia será restabelecida e em outra oportunidade vamos retornar para fazer a festa”, disse Milton, pré-candidato a vereador e grande incentivador da unidade das oposições.

Oposição presente – Com exceção dos vereadores José Nivaldo Cordeiro Carneiro (PRB) e José Carlos de Matos Soares (DEM), as demais lideranças de oposição ao governo municipal estiveram presente ao evento. Os democratas, representado pelo presidente José Falconeres, conhecido Chuá da Farmácia e pela pré-candidata do partido, Tania Regina, comparecem ao evento, porém não subiram ao palanque, apesar de convidados e não usaram da palavra. O mesmo aconteceu com o pré-candidato Fernando de Dudu.

A região da Lagoa do Canto é conhecida no município com área da oposição, desde época do ex-prefeito Walfredo Matos, já falecido.

Por: Valdemí de Assis / fotos: Raimundo Mascarenhas



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.