Caminhoneiro residente em São Domingos é assassinado com três tiros em Feira de Santana

João havia pegado carona e pagou com a vida

O caminhoneiro João Silva Araújo, 57 anos, natural de Conceição do Coité, foi morto com três tiros deflagrados pelo mecânico conhecido pelo vulgo de Cal, residente na cidade de Candeias, onde é proprietário de uma oficina mecânica que presta serviços a veículos pesados, a exemplo de caminhão e carreata. O fato aconteceu na tarde de sexta-feira (20), por volta das 15h na BR-324, próximo ao Posto São Gonçalo, sentido Feira de Santana/Salvador.

Para os colegas e familiares de João de Nozinho, como era conhecido o caminhoneiro, se concretizou com ele o ditado popular que diz  ‘estava no lugar errado e na hora errada’, numa referência as circunstâncias como o crime ocorreu.

João saiu de sua casa, situada da Rua Tertuliano Carneiro, na cidade de São Domingos, na madrugada de domingo (15), com destino a Fortaleza transportando uma carga de papelão no caminhão Mercedes Benz 1516 de sua propriedade e chegou a Feira de Santana de retorno na manhã de sexta-feira (20), deixando estacionado no pátio do posto Conterrâneo na chamada fila do papel, para carregar no final de semana e cumprir a rotina de retornar a estrada na segunda-feira (23). Para não viajar com o caminhão vazio até São Domingos, telefonou para o colega Manoel Messias Nascimento Sampaio, que dirige uma carreta tanque que transporta combustível, pertencente ao empresário Renildo Costa, pedindo uma carona para a cidade onde residia.

O contato aconteceu e conform combinado por telefone, Manoel Messias que seguia de Candeias para São Domingos, pegou João Silva e seguiram pela BR 324, Avenida Contorno, até a passarela Conceição Lobo, no bairro Cidade Nova, em Feira de Santana, onde estava o mecânico “Cal” em pé, ás margens da BR 116/norte e pediu carona a Manoel Messias, que o reconheceu e parou o veículo.

Ao entrar no carro, Cal teria sacado um revólver e forçou Messias a retornar no primeiro contorno da BR 116/Norte, ainda no perímetro urbano de Feira de Santana, para pegar a BR 324 no sentido Feira Santana/Salvador, essas foram as primeiras informações que chegaram à polícia. Cal teria disparado os três primeiros tiros em João que se encontrava na cama da carreata, o acertando a queima roupa. O motorista, ao perceber que poderia ser morto, mesmo com o veículo em movimento, iniciou uma luta corporal com o mecânico que pulou do carro, conseguindo disparar dois tiros, que acertaram de raspão a cabeça de Messias.

Esta versão foi narrada por familiares de João de Nozinho que foram a Feira de Santana após tomarem conhecimento do fato e conversarem com os policiais que investigam o crime.

O nome do mecânico Cal aparece como o principal suspeito do crime por ser conhecido do Messias e o blog Central de Polícia chegou a afirmar que uma divida resultado de serviços prestados por Cal teria motivado o crime, mas esta divida já estava quitada.

A polícia não descarta a hipótese de tentativa de assalto e por ser conhecido, Cal estaria naquele local como isca para parar o veículo e em seguida anunciar o assalto. Se confirmada esta hipótese, João teria sido assassinado para não deixar testemunhas. “Mas tudo isso são hipóteses, linhas de investigações e nós estamos trabalhando para prender Cal e ouvir depois com mais calma o Messias e só assim esclarecermos os fatos”, informou por telefone ao CN um policial que pediu para não ser identificado. Para este policial, se Messias parou o veículo para dar carona a Cal, é porque os dois se davam bem e para Messias Cal tinha boa índole.

Os dois foram socorridos por ambulância da Via Bahia, concessionária que administra o trecho Feira/Salvador, da BR-324 e foram levados para o pronto socorro do Hospital Clériston Andrade, onde João faleceu e Messias ficou internado e não corre risco de morte. Messias é natural de Jacobina e, segundo informações não oficiais, reside no Distrito de Laje do Batata.

O corpo de João Silva Araújo foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) e será transladado para a cidade de São Domingos onnde foi sepultado na tarde deste sábado (21). Até o fechamento desta matéria, Cal não havia sido preso.

 

Por: Valdemí de Assis
.

comentários Esconder »
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.
  1. crispiniana: 
    24 de janeiro de 2012
    Que Deus de o conforto p essa família.ele pediu uma carona que pena que foi a carona da morte...Deus sabe de todas as coisa e que a justiça seja feita sempre oro p todos os motorista pai de família que andam dias fora de casa p sustentar suas famílias............
  2. ouro verde: 
    s.domungos - 23 de janeiro de 2012
    Que Deus ilumine sua família e encoraja para vencer essa grande batalha, e que sua alma descanse em paz e feliz com ele era um homem feliz e contente.
  3. felipe victor: 
    são domingos - 21 de janeiro de 2012
    é tio parece q essa viage q predi pra ir com o senhor pro ceara ja era a despidida. obrigado pelo q mim ensinou e pelo q convivemos juntos os ultimos dias q nimguem esperava. e tu falava direto -vamos rir pra ñ chorar. obrigado pelos conselhos e pelo ensinameto duranti esses dias desculpa por ñ ter ficado mais com senhor foi pq eu ñ tava mim sentido bem la posto ai graças a deus consegui desaba
veja também Ver todos »
Para despistar a família, Maria teria inventado que o marido estava em uma viagem de negócios
Tudo indica que a moto pertence ao jovem Geovane Sampaio, que mora do Km 4, que teve sua moto furtada na manhã de sábado, dia 13, na feira livre da cidade de Baixa Grande.
Foram necessárias 41 sacolas grandes para transportar a mercadoria apreendida em um caminhão.