ichu

quarta-feira, 01 de fevereiro de 2012 20:12

Empossado, novo prefeito disse que não vai mexer em nada

O novo prefeito que é irmão do prefeito afastado disse que exsite uma tal de liminar no processo e Carlos poderá voltar a qualquer momento.

Prefeito além de afirmar que não ia mexer em nada, disse também que no próximo pleito pretende concorrer novamente a vereador

Foi empossado na tarde de quarta-feira (01)  como prefeito interino por trinta dias, até que seja eleito pela Câmara o novo prefeito que assumirá a gestão do município de Ichu até dezembro, o vereador Adalberto Santiago de Almeida (PHS). Beto, como conhecido, subsistitui seu irmão Carlos Santiago (PHS), que foi cassado da função após ser condenado no processo que respondia movido pela coligação “gente que decide e renova” liderada pelo ex-candidato a prefeito Evânio Cordeiro, (PDT) sob alegação que houve abuso de poder econômico, ou seja, o uso de ônibus escolares transportando eleitores para participarem do último comício realizado na noite da segunda-feira, 30 de outubro de 2008.

Afonso estava com vice presidente da Câmara, com a acenssão de Beto ele assumi a chefia do legislativo

A sessão teve inicio ás 15 h com a posse do vereador Manoel Afonso Carneiro (PSDB) com presidente da Câmara e em seguida foi empossado Adalberto Carneiro Santiago, como prefeito interino, cumprindo determinação do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que no dia 18 de janeiro deu provimento parcial.

O líder da bancada da oposição, vereador Antônio George Ferreira Carneiro voltou a destacar o ato histórico da sessão e lembrou ao novo presidente da Câmara que ele terá trinta dias para convocar uma nova eleição e requer sabedoria na condução deste processo. Ele lembrou que não é possível no momento atual tentar descumprir a leis e que no período de 2000/2004, quando fazia parte da situação, a gestão da época fazia algumas atitudes que ele não concordava e constante chamava atenção do então prefeito Dorivaldo Ferreira.

Para o vereador Antônio Carlos Carneiro Almeida (PHS), “Carlinhos Moto”, a gestão do prefeito Carlos Santiago proporcionou ao longo dos quatro anos uma “surpresa atrás da outra”. “Foi conta rejeitada, várias irregularidades e o resultado disto é a punição de quem cometem irregularidades, merece sim ser punido”, desabafou o socialista.

Diante da situação atual, o vereador Eugênio Carneiro de Queiroz Filho (PP), alertou ao recém-empossado presente da Câmara Manoel Afonso que cumprisse a lei e assim conseguia fazer um bom trabalho. “Um bom exemplo a ser seguido é o da gestão do ex-presidente Antônio Francisco que dirigiu a câmara até o final de 2010”, lembrou.

Um dos mais ferrenhos discursos oposicionista foi do vereador Antônio Silva Carneiro (PSL). Seguidor das orientações deixadas pelo líder político Luiz Júlio Carneiro, “Chica”, como é chamado, disse que a cassação de Carlos Santiago e Carlos Adelino era um teste político e servia para que voltasse acontecer. “Isto foi uma sinal e que o prefeito Carlos Santiago se deixava ser influenciado por pessoas, ou se seja, secretário que no passado também já foram cassados”, externou.

Chiba (foto) deixou um recado para as lideranças do PHS, que orientasse seus membros a realizarem uma boa gestão, pois fatos com estes que estão acontecendo no Ichu manha à imagem do partido, “afinal a legenda tem nomes importantes, a exemplo do ex-prefeito Carlos Santiago, do prefeito interino Adalberto e do ex-presidente da Câmara, Totonho”, externou. O momento é diferente daquele Luiz Júlia era injustiçado e que se ouvia dizer as eleições eram roubadas. “Agora estamos vivendo um novo momento com o Brasil e Ichu sendo passado a limpo”, concluiu o socialista liberal.

O vereador José Dias Portugal (PSD), que assumiu a vice-presidente da Câmara, não concordou com os discursos da oposição e “aquele que tivesse pecado, atirasse a primeira pedra”. Usando desta frase bíblica, Dias quis dizer que os colegas da oposição ofenderam determinadas pessoas, Santiago errou que nas gestões passada cometer erros até piores e que não sacrificaram o quando estão fazendo com o atual. “Na última gestão de Dorivaldo Ferreira, aconteceram vários erros e George, um dos defensores, juntamente com outros vereadores contornou muitos problemas e na época. Foi naquele tempo, que Carlos, fora do poder conseguiu derrotar um grupo forte que tinha Amilton com candidato e praticamente todos os vereadores que estavam na câmara era ligados a Dourinho”, desabafou.

Durante a fala do vereador Zé Dias, o clima esquentou e ao perceber que o colega Carlinhos Moto grava a sessão no celular, pediu ao presidente da mesa que mandasse. Naquele momento Zé Dias contestou a afirmação de que Carlos Santiago estivesse cassado e o Secretário de Administração José Nailton percebeu que o vereador Carlinhos Moto provocava o colega a dizer que os desembargadores do TRE estavam mentindo.

Horário inadequado, descrença ou falta de interesse da população? Plenário quase vazio

Passado o momento das “alfinetadas” ao ex-prefeito Carlos Santiago, o vereador Antônio Francisco de Oliveira (PHS), veio na defesa e disse que qualquer administrador público estar sujeito a esta situação e considera Santiago um dos homens competentes para administrar o município e o exemplo disto foi o cumprimento de três mandatos, mesmo com seus erros, que é humano e muito mais acertos. “Depois da gestão de Carlos, houve um crescimento significante no comércio e no número de obras que estão sendo tocadas”, falou o humanista.

O secretário de administração José Nailton, mesmo sendo alvo de criticas, manteve calmo e fez um curto discurso resumindo apenas que nem todos poderiam falar de erros dos outros. Encerrando as declarações desejou sucesso para Beto Santiago e Manoel Afonso.

Vice prefeito afastado também esteve na posse do prefeito interino

Para o vice-prefeito Renato Adelino (PSDB), o momento é delicado, mas tem a certeza que será superado. Ele acredita que uma limitar o retornará e Carlos Santiago ao poder o mais rápido possível e não acredita que realização de outra eleição dentro dos trinta dias. Mas, questionado sobre a hipótese da nova eleição, ele disse que PSDB irá apresentar um nome, caso a eleição ocorra e este nome poderá ser o seu. “O certo é que iremos para disputa na eleição de outubro”, reafirmou.

Oposição de movimento – Além de Renatinho, a oposição também se movimenta para indicar um nome, caso aconteça uma nova eleição. As informações do líder da bancada Antônio George. Ele disse ao CN que já tem este nome, mas não será divulgado no momento e estão esperando o próximo acontecimento e dentro no máximo, 15 dias, será divulgado. Ele não descartou que poderá ser este nome.

Palavras de Beto – O vereador Adalberto Santiago disse ao CN que foi eleito para ser vereador e não pretende, caso ocorra uma eleição, ser o candidato. Ele acredita que a qualquer momento seu irmão Carlos Santiago voltará garantido por meio de uma liminar e no período que estará à frente da Prefeitura manterá os serviços básicos e aguardará os acontecimentos futuros.

Ele tranquilizou o secretariado que não fará mudanças e manterá todos os procedimentos deixados pelo ex-prefeito Carlos Santiago. Beto deixou claro que por força da lei deixou provisoriamente a função de legislador e que pensa em correr a uma vaga, renovando seu mandado na eleição de outubro, indo para om terceiro o mandado.

Ao assumir a Prefeitura, Beto recebeu a primeira reivindicação que partiu do presidente da Câmara, Manoel Afonso, que a urbanização do Conjunto Oscar Cedraz, mais conhecida como saída para Coité, onde as pessoas estão vivendo de forma sub-humana, com lama exposta nas ruas e a tubulação de água encanada exposta e no meio do esgoto.

Com a saída de Beto Santiago, Roque Filho (PHS) “Menininho”, primeiro suplente e que deverá faz parte da base aliada do governo municipal.

Figuinho é natural de Conceição do Coité, mas fez carreira politica em Ichu

Afastamento do prefeito –  Na denuncia, além da questão do uso de ônibus público no ultimo comício, a oposição também alegou a compra de votos, mas esta acusação foi rejeitada pelos juízes desembargadores. Com um visual diferente do período em que disputou a eleição em 2008, o presidente do PDT, sem barba, Evânio Cordeiro, disse que a sessão ficou marcada para a história do município e a democracia esta acontecendo de forma lenta, mais vem acontecendo. “Curioso na sessão é que aqueles que foram cassados ainda tiveram voz e vez. Sei que há outros recursos, mas creio que a justiça será feita e o povo vai vê isto”, falou Figuinho, como é conhecido o líder pedtista.

Evanio fez parte da mesa e dividiu espaço com os vereadores e com os secretários de administração Nilton Araújo, de educação José Carlos da Cruz e como o vice-prefeito.  Sem energia, os vereadores tiveram que usar da palavra de forma natural, apesar de se esforçarem, pois o público presente na planteia era inferior a trinta pessoas, considera insignificante para a importância do ato que acontecei pela primeira vez em toda história do Território do Sisal, formado por vinte municípios.

Por: Valdemí de Assis / fotos: Raimundo Mascarenhas

 



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.