serrinha

sexta-feira, 03 de fevereiro de 2012 08:13

Serrinha – Shodam deixa Prefeitura para atuar no Gabinete de Joseildo Ramos – Saiba detalhes dessa mudança

Natural de Riachão do Jacuípe, o militante fez história na cidade de Serrinha.

Depois de um ano e oito meses frente a chefia do Gabinete da Prefeitura de Serrinha, Josenildo Carneiro Amorim, mais conhecido por Shodam, deixou a função para assumir uma assessoria parlamentar no mandato do deputado estadual Joseildo Ramos (PT), o mais votado para estadual em 2010 no município, onde obteve 5.371 votos.  Shodam falou que após a vitória de Osni Cardoso em 2008, muitas pessoas que pensavam as políticas da região, principalmente do PT, foram para Prefeitura e o momento requer que este trabalho seja reivindicado. “Vamos montar um planejamento de atividades, onde as demandas das comunidades sejam encaminhadas ao gabinete em Salvador e intermediadas aos órgãos competentes e se concretizem em melhoria de vida para as pessoas”, falou.

Ele assume a nova função pensando na criação de uma escola de administração pública para a militância do PT e seus coligados que vencerem as eleições em outubro para que assumam suas funções com conhecimento e realizem boas gestões, “como é a marca do PT, pois onde o PT governa dar certo”, falou Josenildo Carneiro.

Ele também pretende aproximar o mandato de Joseildo Ramos ao CODES/Sisal e ao Consórcio formado pelos prefeitos da região e quer acelerar alguns pleitos do prefeito Osni Cardoso, abraçado pelo mandado de Joseildo a exemplo da Praça PAC II, Escola família Agrícola e o recapeamento das avenidas do centro da cidade. “Vamos também trabalhar para deixar mais perto do mandato todos os movimentos sociais da região, intermediando suas reivindicações”, falou entusiasmado o novo assessor parlamentar.

A princípio ele irá atender numa sala na sede do Partido dos Trabalhadores e vai focar as atenções numa política programática de conteúdo. Questionado sobre a continuidade dos trabalhos, caso Joseildo Ramos seja candidato a prefeito pelo município de Alagoinhas, ele negou a possibilidade, pois o deputado tem dito que foi eleito para cumprir os quatro anos de mandato do poder legislativo e vem trabalhando um nome que ser indicado por ele para candidato a prefeito em Alagoinhas, sua terra natal e onde foi prefeito por dois mandatos.

Deixa a Prefeitura – Ao receber a equipe do CN no último dia de atividade (02/02) como chefe de Gabinete, Shodam lembrou algumas ações realizadas neste período a exemplo da humanização do espaço e a capacidade de diálogo. Destacou a boa relação com os vereadores, inclusive os da oposição e o trabalho  frente a coordenação da defesa civil.

Responsável pelo atendimento as lideranças dos movimentos sociais, Shodam cuidou também da política e ouvia diariamente as pessoas que estavam se dispondo a disputar cargos eletivos e também representava o prefeito nos eventos de governo e nas audiências públicas. “Foi um período de muito trabalho e de bom resultado. Deixo a função com sentimento do dever cumprido”, garantiu.

Shodan aproveitou para apresentar Edvaldo, seu subistituto

Outro ponto lembrado pelo ex-chefe de gabinete foi à edição do Pedrinho, festa junina do município, que recebeu da Bahiatrusa a indicação de uma das melhores festas juninas do interior em 2011. “ O tema cordel dos vaqueiros, construindo a casa de reboco foi um sucesso”, festejou.

Shodam passa o cargo para Edvaldo Teixeira, que já foi informado sobre a primeira reunião visando à organização do Pedrinho, edição 2012, o fogaréu evento cultural que acontece na semana Santana e recebe todo apoio da Prefeitura e o trabalho que deixou adiantado junto ao exercito para limpeza das barragens e atendimento por carros-pipa as famílias carentes.

 

Uma vida de luta e sacrifícios – Nascido no Município de Riachão do Jacuípe, filho de camponês e como a maioria do povo de sertão, teve muitas dificuldades, faltando-lhe condições básicas para sobrevivência. Sua rotina começava pela madrugada fazia suas primeiras tarefas do dia, antes de andar três quilômetros para estudar. Pela tarde, o trabalho árduo do motor de sisal. Em tempo de chuva, como sua família não possuia terra, trabalhava em sistema de meeiro, ou seja, produzia e parte de sua produção era para o dono da terra. Ao sábado quando sua mãe ia até a cidade, mesmo sendo o quinto de sete filhos, assumia a responsabilidade da casa cuidando dos menores. Aos domingos ia para os cultos religiosos e os jogos de futebol vender a cocada de sua mãe como forma de ajudar na renda familiar. Aos dez anos mudou-se para a cidade  e passou a vender geladinho e aos onze começa a trabalhar numa indústria de móveis e esquadrias onde ficou por quinze anos, trabalhando, em muitos casos, dia e noite.

Sua militância no movimento social começa na Pastoral da Juventude no ano de 1996. Tendo como base os princípios da Teologia da Libertação, a PJ despertou o senso crítico, a compreensão do ser humano em suas múltiplas dimensões, a indignação pela injustiça e a fé encarnada no meio povo de Deus. Fé sem vida, sem mudar a realidade o pobre, do negro da mulher e de tantos outros grupos, historicamente excluídos da sociedade, passa a não ter sentido. Assim, foi coordenador de grupo de jovens e de pastorais, assessor arquidiocesano da pastoral da juventude, estudou teologia na escola diocesana de Feira de Santana. Com seu espírito profético sempre teve coragem de denunciar a injustiça, de enfrentar as autoridades e combater as práticas viciadas e coronelismo da política local. Por isso, perseguindo. Um dos fatos marcantes foi quando o prefeito, vice prefeito, presidente da câmara e outras autoridades da época do município de Riachão do Jacuípe, alguns delas com armas de fogo, invadem o altar da igreja, em plena celebração da festa do padroeiro, para impedir a reflexão crítica do companheiro Vital Martinho e num ato de coragem Shodan toma a frente e conduz o companheiro pela Sacristia da Igreja, evitando assim, maiores problemas.

Na sua militância propôs uma mudança radical na forma de pensamento rompendo o comodismo e a apatia política. Nesse sentido, escreveu, dirigiu e atuou como ator em peças de teatro de rua, e de filmes amadores, trabalhando sempre o senso crítico, a cidadania, a conscientização política, a valorização do negro, da mulher e do ser humano de modo geral. Organizava grito dos excluídos, semana da cidadania, campanhas contra privatização e contra a Área de Livre Comércio das Américas. Essa experiência provocou mudanças em sua vida familiar, na relação com os amigos e no trabalho. Neste último passa a atuar durante anos, como presidente e representante dos trabalhadores para comissão de prevenção de acidente, espaço de defesa dos direitos da categoria.

Mesmo com carga horária de trabalho que chegava há 14 horas por dia consegue ingressar na universidade em 2004, deixando emprego, família e sua terra natal para morar em Serrinha. Começa militar no movimento estudantil, tornando-se membro do Conselho Superior – Consu, instância superior de deliberação da maior universidade multicampi da América Latina – Universidade do Estado da Bahia. Um dos fundadores colaboradores do Diretório Acadêmico de Geografia e do Núcleo de Pesquisa da Uneb, campus XI, atuou também, como coordenador da Residência Universitária dos Estudantes de Serrinha e como membro do Diretório Central dos Estudantes, entidade representativa da categoria no Estado.

A militância na política partidária, compreendida como parte de um projeto maior de mudança da sociedade, de promoção do bem comum, começa nas eleições presidenciais do início dos anos 90. No ano de 1998 torna-se fundador do Diretório Municipal do Partido dos Trabalhadores. No mesmo ano, na Escola Menino Jesus, em Conceição do Coité, na Assembleia do Vicariato da Pastoral da Juventude, junto com companheiros como Osni Cardoso, lança o desafio para toda a juventude da região: Implantar o Projeto Mandato Popular. Trata-se de uma proposta de candidatura a vereador ou prefeito tendo como pilar desde sua origem até a sua execução, a participação popular. Em 2002, dois anos antes das eleições municipais de 2004, coordena o lançamento do Mandato Popular na Assembleia Paroquial de Riachão do Jacuípe. Elaborou cartilha de estudo sobre a proposta, definiu prazo de um ano para estudar a cartilha e para os pré-candidatos apresentarem suas propostas, Mais de cinquenta entidades, incluindo entre elas pastorais, grupos de jovens, associações comunitárias, igrejas evangélicas, sindicatos, dentre outras, estudaram a cartilha e as propostas dos pré-candidatos a vereador e fizeram sua votação interna levando o voto da entidade para a assembleia geral do mandato. Assim, envolvendo toda a sociedade no estudo, pré-eleição e campanha eleitoral conseguiu um processo, jamais visto na região, e que se tenha conhecimento, jamais visto no Brasil que culminou na eleição do companheiro José Avelange a vereador.

Em 2006, a convite de Osni Cardoso, abrindo deixou sua vida profissional para coordenar a campanha de deputado estadual. Elaborou junto com professor Jivaldo da Direc 12 e o professor Hugo de Santa Barbara, o programa de governo da campanha e realizou seminários regionais, fatores principais que impulsionaram a referida campanha e projetou Osni como principal candidato para eleições municipais de 2008 Nas eleições de 2008 fez parte da coordenação de comunicação da campanha e junto com outros companheiros elaborou o Programa de Governo do então candidato a prefeito Osni Cardoso de Araújo. Coordenou, também, junto com professor Luizinho e Osni Cardoso, as eleições proporcionais e majoritária de 2010 dando votação expressiva aos deputados, senadores, governador e presidenta.

Atuou ainda pela Secretaria Nacional de Economia Solidária como Agente de Desenvolvimento Local da Economia Solidária, prestando assessoria a cooperativas e grupos de produção no Território do Sisal no que se refere a aspectos da legalidade, formalização, contabilidade e gestão dos empreendimentos locais.

Diretoria Regional de Educação – Direc 12 – Atuou, voluntariamente, durante cinco meses como articulador regional do Programa Todos Pela Alfabetização – Topa. Logo em seguida passou a fazer parte da estrutura administrativa da Direc 12 como Supervisor Regional do Topa ganhando destaque como o supervisor que mais cadastrou turmas no Estado da Bahia. Só na primeira etapa a Direc 12, sob a supervisão de Josenildo Shodan, alfabetizou onze mil pessoas no território, sendo dois mil só em Serrinha. Além disso, dinamizou o processo de aprendizado construído a partir da realidade dos alfabetizando numa metodologia proposta por Paulo Freire. Desenvolveu um diálogo constante com os movimentos sociais, envolvendo-os no processo de construção. Essas ações ganharam destaque nacional quando o município de Serrinha foi citado pelo então Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva no ato de encerramento do referido programa.

Na Direc 12 trabalhou ainda como Pregoeiro, Presidente de Comissão de Licitação e Coordenador Financeiro prezando pelos princípios que regem a administração pública. Buscou dar autonomia às Unidades Escolares de Ensino da Rede Estadual, dialogando, capacitando e qualificando os diretores para realizarem seu próprio certame. Assim, contribuiu com a reforma das escolhas dos municípios de circunscrição da Direc 12 atualizando-os com as novas exigências legais, sobretudo a que se refere à aquisição dos produtos da agricultura familiar para a alimentação escolar.

Por: Valdemí de Assis / fotos arquivo e Raimundo Mascarenhas

 



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.