Homem é morto a pedradas e suspeitos são presos

As primeiras investigações dão conta que tudo pode ter acontecido por causa de drogas, já que todos são apontados como usuários, até mesmo a vítima.

Vítima e objetos usados no crime

De acordo com informações da Polícia Civil de Capim Grosso, foi assassinado a pedradas por volta de 01h  deste domingo (04) no Bairro Mutirão II, Marivaldo Carneiro da Cruz, 31 anos, conhecido por Baio.

Os acusados de terem assassinado a vítima foram presos por volta das 10h do mesmo dia, mediante trabalho realizado por agentes da Polícia Civil. Os assassinos foram identificados por  Francisco Carneiro dos Santos Filho, 21 anos, vulgo assaltante e Edson Alves dos Santos, vulgo Dede, 28 anos.

Os acusados foram presos 9 horas depois

Segundo o site arnaldosilvaradialista, aparece como testemunha chave do episódio uma quarta pessoa de nome Gilma Cristine Porto de Luna, 34 anos, que segundo a polícia estava acompanhada da vítima no momento em que os acusados chegaram na residência da vítima.

A polícia ainda não tem uma versão oficial para o fato, mas as primeiras investigações dão conta que tudo pode ter acontecido por causa de drogas, já que todos são apontados como usuários, até mesmo a vítima.

Da redação / com informações Arnaldo Silva/ fotos FR Noticias

comentários Esconder »
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.
  1. lene: 
    rretirolandia - 6 de março de 2012
    infelismente umm dos maiores responsaveis por essas coisas e a droga
veja também Ver todos »
O filho do acusado também foi encaminhado para prestar depoimento na delegacia.
De acordo com uma funcionária da unidade, que prefere não se identificar, ao ouvirem os sons de tiros, várias pessoas correram para o segundo andar da unidade.
Em dois anos, 200 agentes foram afastados em todas as unidades prisionais do Amazonas. Informações da Folha.