fatos-policiais

domingo, 26 de maio de 2013 12:32

Salvador – Jornalista vai a Hipermercado reclamar de troco errado e acaba morto a facada

A vítima foi reivindicar um crédito de R$ 11,98 que ficou pendente em uma compra de iogurtes.

10108_0526Uma briga entre um cliente e uma funcionária do supermercado Hiper Bompreço, no Iguatemi, acabou em tragédia na noite de sexta-feira,24, por volta das 21h. O jornalista Sandro Ferreira Santos, 28 anos, foi esfaqueado no estacionamento por um homem, identificado pela polícia como o guardador de carros conhecido como Coveiro e Pasta Pura, após ter discutido com a atendente Lucimara Alves dos Santos para reivindicar um crédito de R$ 11,98 que ficou pendente em uma compra de iogurtes. Ele chegou a ser atendido pelo Samu, mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do HGE.

Segundo o companheiro do jornalista, que morava com ele no Engenho Velho de Brotas, o vendedor Jefferson Souza, 29, Sandro comprou duas garrafas de iogurte na quarta-feira e, depois de pagar, percebeu que o valor cobrado, de R$ 5,99, diferia do preço que estava no iogurte, de R$ 1,99. “Ele chegou em casa dizendo que discutiu com a atendente e que ela foi mal educada. Ele se sentiu injustiçado e queria o valor em dinheiro, mas ela só deu um cupom vale-troca”.

Segundo o boletim policial do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), o jornalista esteve no supermercado três vezes para reaver o dinheiro. Na sexta-feira, Sandro voltou a discutir com Lucimara e com outra atendente Rosemeire Marta Oliveira. “Ele trocou o cupom por pipoca e biscoito, mas ainda sobrou dinheiro. Pode ser que ela tenha se negado a dar o troco em dinheiro”, disse Jefferson — a nota encontrada no bolso de Sandro mostra que, após a troca, ainda restava R$ 1,19 de troco.

10108_0526Na confusão, o Samu foi chamado porque Lucimara torceu o pé e Sandro teve um mal-estar devido a uma gastrite nervosa. No meio do atendimento, quando estava sentado em uma cadeira de rodas a caminho da ambulância, o rapaz foi surpreendido com uma facada no lado direito do pescoço. Um funcionário do Bompreço contou ao CORREIO que o assassino era amigo de uma das atendentes e que ficou revoltado com a grosseria do cliente na discussão.

Familiares ainda reclamam do sumiço da mochila do jornalista, com um notebook dele. A polícia diz que vai investigar se foi roubada. A mãe de Sandro, a servidora pública Maria José Pinheiro, 47, disse que vai entrar com uma ação contra a rede de supermercados. “Nada vai devolver a vida dele, mas a supervisão (do mercado) tem culpa nisso. Vou botar o mercado na Justiça”. Em nota, o Bompreço informou apenas que está colaborando com as investigações e que vai prestar todos os esclarecimentos à polícia.

Sandro foi enterrado, ontem (sábado) à tarde, no Cemitério da Ordem Terceira de São Francisco. Ele se formou em Jornalismo em 2008 e cursava pós-graduação em Gestão de Projetos na Unijorge. Segundo familiares, era tranquilo. “Ele não tinha problema com ninguém. Nada justifica isso. Nada justifica essa covardia”, lamentou Maria José. “Ele não era de briga”, contou o tio do jornalista, o motorista Gerson Bispo de Santana, 57. Apesar disso, amigos contaram que ele lutava por seus direitos. “Já presenciei ele discutindo e dizendo que a pessoa perderia o emprego. Essa mulher pode ter dito um desaforo e ele não aceitou”, disse Jefferson.

Fonte: Correio



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.