esporte

terça-feira, 29 de outubro de 2013 15:15

Possibilidade do Bahia cair aumenta para 31%

O Bahia “subiu” para o 15º lugar, mas também ganhou mais um adversário nessa briga contra o Z-4

Mal dentro de campo, fora de campo a “Estrela Tricolor”, está brilhando como nunca. O Esporte Clube Bahia mesmo empatando dentro de casa, na Arena Fonte Nova, em 1 a 1 contra o Atlético Paranaense, ampliou de três para quatro os pontos a diferença que separa o time do Z-4, a zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Mesmo assim, de acordo os matemáticos, os sites de prognósticos, a equipe do técnico Cristóvão Borges viu a ameaça de rebaixamento crescer de 27% para 31%.

Pior do que o empate de domingo passado, foi a constatação da torcida de que o time do Bahia não dá esperanças na luta contra o rebaixamento, uma equipe apática, sem força ofensiva, com o 4º pior ataque entre os 20 clubes da 1ª Divisão, com apenas 32 gols marcados em 31 jogos disputados, deixando nas mãos, ou nos pés dos adversários, seu futuro na 1ª Divisão do Brasileiro, uma história que se repete a três anos, quando o Tricolor voltou a disputar a Série A do Campeonato Brasileiro. Diante deste quadro, “Os resultados ajudaram.

O péssimo empate até foi matematicamente bom: o Bahia ganhou uma posição e abriu mais um ponto do Z-4. A distância aumentou e é a única coisa que é satisfatória, o resto não serviu”, admitiu o técnico Cristóvão Borges.

O Bahia “subiu” para o 15º lugar, mas também ganhou mais um adversário nessa briga contra o Z-4. A Ponte Preta, que todos apontavam como virtual rebaixado, ao lado do Náutico, chegou aos mesmos 33 pontos do Vasco da Gama e entrou na luta ao lado do Fluminense.

“Essa reta final tem uma exigência maior e temos que responder, buscar os resultados”, acredita o técnico do Tricolor faltando sete rodadas: 21 pontos em jogo.

Se não quiser depender até mesmo do rival, o Bahia precisa somar ao menos oito deles. Se depender dos resultados e atuações defensivas do lado esquerdo capitaneados por Raul, Hélder e companhia, e das criações de jogada do setor de meio de campo, o Bahia seguirá sem fazer a sua parte para a fuga do descenso.

Contra o Grêmio, domingo em Porto Alegre, o time tem a volta de Fernandão e Souza, mas fica sem o meia Hélder, suspenso, e Wallysson, que ainda se recupera de uma lesão muscular na coxa.

Com informações do TB*



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.