bahia

sábado, 28 de dezembro de 2013 10:40

Ex-baterista do Estakazero, morre após parada cardíaca

O músico vinha em intenso tratamento de saúde depois de ser baleado na cabeça em julho de 2011, numa saidinha bancária.

 

perrrone

Paulo César Perrone, ex-baterista da banda Estakazero, morreu aos 35 anos na madrugada deste sábado (28), após sofrer uma parada cardíaca. Baleado em 2011 durante um assalto, Perrone tinha sido internado recentemente no centro de tratamento intensivo (CTI) do Hospital Espanhol, onde passou por tratamento por conta de uma infecção.

Em conversa com o Correio24horas, a irmã do músico, Lidiane Roriz, disse que Perrone foi internado na noite de ontem (27) na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital das Clínicas. “Ele deixou o Espanhol no dia 6 de dezembro, mas contraiu outra infecção respiratória e começou a apresentar complicações ontem, com dificuldades para respirar”, relata. “Conseguimos uma vaga [no hospital], mas ele teve uma parada cardíaca por volta das 2h e os médicos não conseguiram reanimá-lo”.

RTEmagicC_perrone_falecimento.jpg

O corpo de Perrone foi encaminhado para o Departamento de Polícia Técnica (DPT), onde deve passar por perícia antes de ser liberado para o sepultamento. Os detalhes do local e horário do enterro do baterista ainda não foram confirmados.

Lidiane ainda falou um pouco sobre a situação da família do músico – especificamente sobre a mãe dele, Lúcia Roriz, que cuidava de Perrone e acompanhava de perto o tratamento desde que o baterista foi baleado.

“Ela está péssima. Todos nós morávamos juntos, então sempre fomos muito próximos, mas ela está pior, claro. Não há nada que se compare a dor que ela está sentindo”, conta Lidiane. “Não é natural uma mãe ter que enterrar o próprio filho”.

Antes de morrer neste sábado, Perrone tinha sido internado no Hospital Geral do Estado (HGE) no dia 27 de outubro, após ter sofrido convulsões e do HGE foi transferido no dia seguinte para a UTI do Hospital Alayde Costa, primeiro a disponibilizar uma vaga.

Já no dia 30 de outubro, foi apontada a necessidade de transferência para um hospital que dispusesse de unidade neurológica avançada, para melhor atender o músico.

Relembre o caso

Perrone foi baleado na cabeça, em julho de 2011, quando passava com o seu carro, um Fiat Uno, na Alameda das Espatódeas, no Caminho das Árvores. Vítima de uma saidinha bancária, ele foi abordado por dois homens em uma moto que efetuaram o disparo mesmo com o movimento intenso na via.

No dia 14 de agosto do mesmo ano, os três homens foram acusados de latrocínio (roubo seguido de lesão corporal grave) e condenados a pena máxima de 30 anos de reclusão, mas ficarão presos por 20 anos, já que tiveram suas sentenças reduzidas em um terço.

Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária e Ressocialização (SEAP), os três assaltantes, Leonardo Bruno dos Santos Santana, Clécio de Sousa Alves e Luiz Claudio Dacttes Magalhães, ainda não demonstraram interesse nas atividades e projetos que reduzem pena, o que é comum para presos recentes.

Fonte e fotos: Correio



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.