Piloto morre em mesmo avião em que pediu namorada em casamento – Veja o vídeo

O pedido de casamento foi postado pelo piloto no YouTube dois dias antes de morrer. O video, foi visualizado por mais de 70 mil pessoas.

piloto e noiva

O piloto e instrutor de voo Arthur Panseira Demétrio, 22 anos, morreu na quarta-feira (29) na queda do mesmo avião em que pediu a namorada em casamento, há pouco mais de um mês, em Cachoeira do Sul, a 196 km de Porto Alegre.No acidente, também morreu o aluno Darlan Kabata, 31 anos, segundo o jornal Folha de S.Paulo.

O pedido de casamento foi postado pelo piloto no YouTube dois dias antes de morrer. O video, foi visualizado por mais de 70 mil pessoas.

Demétrio voltava ao aeroclube após a aula de voo quando, segundo o Corpo de Bombeiros, avisou pelo rádio sobre uma pane no avião. A aeronave caiu em uma lavoura a 3 km da pista do aeroporto. Os dois morreram na hora.

No perfil de Demétrio no Facebook, amigos e desconhecidos lamentam a morte do piloto no post em que publicou o vídeo com o pedido de casamento.

No vídeo publicado por Demétrio, ele faz uma surpresa para a noiva Thays Pereira da Cruz após três anos de namoro. O vídeo foi gravado no dia 14 de dezembro do ano passado.

Com a ajuda dos pais, do irmão e de amigos, Demétrio sobrevoa a pista e Thays vê uma faixa em que está escrito seu nome e o pedido de casamento. Ela aceita o pedido e os dois trocam alianças dentro do avião.

comentários Esconder »
Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.
veja também Ver todos »
A Brastemp se fundiu à Cônsul e à Semer em 1994 e compôs a Multibrás S.A. , que três anos depois, se juntou à líder mundial de eletrodomésticos Whirlpool. Com informações do G1 e O Estado de São Paulo.
Candidatos pré-selecionados na primeira opção de curso, mas que não foi formada turma, podem integrar a lista de espera para a segunda opção de curso feita na inscrição.
O objetivo é se apropriar de dados de terceiros, os golpistas pedem que as pessoas preencham um formulário com seus dados ou de parentes.