bahia

quinta-feira, 05 de fevereiro de 2015 10:25

Em 36 dias de 2015, 30 instituições financeiras foram atacadas na Bahia

Somente nesta quinta foram três: BB de Santanópolis, caixa eletrônico de loja de conveniência em Salvador e Correios de Tanquinho.

 

banco do brasil de capela do alto alegre -des-foto-raimundo mascarenhas - calila noticias

Banco do Brasil de Capela do Alto Alegre sofreu pelo menos três ataques em um ano. O último aconteceu dia 11 de janeiro deste ano.

Ataques a instituições financeiras na Bahia parece ser algo inevitável, nos 35 dias do ano de 2015 já foram alvo dos bandidos 30, entre caixas eletrônicos de agencias bancárias ou de correspondente, correios, cooperativas de crédito e carros fortes.

Os alvos principais são cidade de pequeno e médio porte do interior, onde geralmente o efetivo policial fica fragilizado diante das quadrilhas, tem município que existe apenas dois soldados que ficam impossibilitados de enfrentarem os bandidos que chegam com número sempre superior a 10 homens com armamento de grosso calibre.

Até na capital as quadrilhas agem

Até na capital as quadrilhas agem

Nessa madrugada de quinta-feira,5, quadrilhas explodiram os caixas eletrônicos do Banco do Brasil de Santanopolis, Município do Território de Identidade Portal do Sertão, região Metropolitana de Feira de Santana, Correios de Tanquinho no mesmo território de identidade e a ousadia dos assaltantes é tão grande que até mesmo a capital onde é mais comum encontrar guarnições policiais em rondas um caixa eletrônico foi destruído na movimentada Av Tancredo Neves.

Eis a relação das instituições que sofreram ataques do dia 1º de janeiro a 5 de fevereiro, muitos deles já sofreram ataques outras vezes.

01.01.2015 Esplanada-BA > Banco do Brasil
01.01.2015 Salvador-BA > Banco do Brasil
02.01.2015 Santa Luzia-BA > Bradesco
02.01.2015 Santa Luzia-BA > Correios
03.01.2015 Crisópolis-BA > Banco do Brasil
03.01.2015 Crisópolis-BA > Bradesco
03.01.2015 São Sebastião do Passé-BA > Banco do Brasil
05.01.2015 Santa Inês-BA > Bradesco
07.01.2015 Salvador-BA > Banco do Brasil
09.01.2015 Teolândia-BA > Bradesco
09.01.2015 Novo Horizonte-BA > Bradesco
09.01.2015 Novo Horizonte-BA > Correios
11.01.2015 Capela do Alto Alegre-BA > Sicoob
11.01.2015 Capela do Alto Alegre-BA > Banco do Brasil
14.01.2015 Elísio Medrado-BA > Bradesco
14.01.2015 Itajuípe-BA > Bradesco
15.01.2015 Juazeiro-BA > Carro forte PROSEGUR
19.01.2015 Itiúba-BA > Correios
22.01.2015 Luis Eduardo Magalhães-BA > Caixa eletrônico em mercado
23.01.2015 Irará-BA > Caixa Econômica
24.01.2015 Jandaíra-BA > Bradesco
29.01.2015 Iramaia-BA > Banco do Brasil
02.02.2015 São Miguel das Matas-BA > Banco do Brasil
03.02.2015 Taperoá-BA > Banco do Brasil
03.02.2015 Cardeal da Silva-BA > Banco do Brasil
03.02.2015 Itapicuru-BA > Banco do Brasil
04.02.2015 Teofilândia-BA > Ascoob
05.02.2015 Santanopólis-BA > Banco do Brasil
05.02.2015 Salvador-BA > Banco 24h
05.02.2015 Tanquinho-BA > Correios.

Projeto no Senado quer endurecer pena para quem explodir caixa eletrônico

O primeiro projeto apresentado em 2015 no Senado Federal visa endurecer a punição para quem cometer crimes contra caixas eletrônicos. A lei, do senador Ciro Nogueira (PP-PI), trata a ação como furto qualificado. De acordo com a Agência Senado, o crime pode ser comparado, por exemplo, ao ato de quebrar o vidro de um carro para furtar um objeto em seu interior. Com o PLS 1/2015, Ciro Nogueira propõe que a pena de reclusão passe a ser de três a oito anos se o furto de dinheiro em caixa eletrônico se der “mediante o uso de explosivo ou outro meio que cause perigo comum”. Hoje a pena mínima é de dois anos de prisão. O PLS receberá decisão terminativa na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ).

Redação CN



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.