brasil

quinta-feira, 05 de fevereiro de 2015 13:37

Homem vive sozinho há 32 anos em ilha deserta de São Paulo

Há três décadas no local, o homem adapta seu cotidiano aos recursos disponíveis da Ilha.

RTEmagicC_0d92103f6a.jpg

Foto: Reprodução/TV Vanguarda

Ficar distante do barulho, do estresse, do engarrafamento e da violência. Esse é um desejo da maioria das pessoas: ter uma vida mais tranquila. Contudo, poucos têm a coragem de largar a vida da cidade grande. Um homem foi ainda mais ousado e, além de deixar sua cidade natal, se mudou para uma ilha deserta.

Há 32 anos, o paulistano Caio Rodrigues deixou a capital de São Paulo, e se tornou o único morador da Ilha dos Gatos, a cinco quilômetros do continente. Caio, que chegou à Ilha para trabalhar como caseiro, revela que a decisão foi motivada pela oportunidade de manter contato com a natureza. “Fui comerciante, comerciário, bancário, trabalhei no transporte de carga do aeroporto de Congonhas. Depois que meu primeiro filho nasceu, eu queria uma vida mais saudável”, disse.

Inicialmente, o paulistano viveu cerca de três anos e meio com a mulher e três filhos na ilha. “Eles ficaram aqui até minha filha mais velha criar idade para poder ir para a escola. Após isso eles foram morar na praia, que fica a dez minutos daqui. E eles estão aí, próximos, todo dia encontro com eles, falo com eles”.

Há três décadas no local, o homem adapta seu cotidiano aos recursos disponíveis da Ilha. “Na despensa não falta nada, está sobrando. Eu como arroz, feijão e macarrão. Como não tem açougue, eu pego peixe na hora, em frente de casa. A água não está chegando até aqui, mas eu busco num lençol freático, a água sai totalmente doce”, afirmou.

Caio afirma que já ficou mais de vinte dias sem conversar com ninguém. “Só usava a voz para cantar no violão, justamente para exercitar um pouco. Eu tinha um cachorro e eu costumava falar bastante com ele. É uma questão de consciência, existe um diálogo com você mesmo. Quando você consegue ouvir alguma coisa é de você mesmo. Não há interferência nenhuma, nenhuma buzina”.

Com 75 mil metros quadrados, a Ilha dos Gatos era propriedade de uma família norte-americana, na década de 1960. Atualmente, a Ilha pertence à União e está inscrita em nome da Sociedade Ecológica Brasileira. O cotidiano do único morador do local surpreende os turistas, mas Caio garante que a experiência de viver na ilha é positiva. “Só tem que ter paciência de esperar as coisas acontecerem. As coisas vêm até mim normalmente”, conclui.

Correio 24 Horas



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.