bahia

segunda-feira, 10 de agosto de 2015 21:57

Servidores Administrativos da UNEB param a partir desta terça

Assembleia decide por paralisação com portões fechados de 11 a 14 de agosto.

paralisação dos técnicos administrativos da uneb - foto - raimundo mascarenhas - des

Nem bem os professores e alunos das universidades estaduais da Bahia concluíram o ‘aquecimento’ para o retorno as atividades depois de mais de 80 dias em greve, tendo o corpo docente chegado a um acordo com o Governo da Bahia na última quinta-feira,  e anunciado o retorno as aulas para esta segunda-feira, 10, uma nova paralisação acontece desta terça, 11, até sexta-feira, 14 de agosto.

paralisação dos técnicos administrativos da uneb - foto2 - raimundo mascarenhas - des

Mas a paralisação agora é por parte dos servidores administrativos da Universidade alegando, que ao longo da existência das Universidades Estaduais da Bahia, os servidores técnicos destas instituições têm lutado intra e/ou extra campus por melhores condições de trabalho e de salários.

A pauta é bastante extensa, e cartazes serão fixados no portão da Universidade.

A pauta é bastante extensa, e cartazes serão fixados no portão da Universidade.

Os servidores encaminharam nota a imprensa justificando que “nos últimos anos, até a presente data, mesas de negociações – setorial e/ou central foram instaladas, documentos foram elaborados, acordos foram assinados, porém a categoria ainda não teve suas principais reivindicações atendidas. Sempre alerta, a categoria continua mobilizada com uma série de ações visando sensibilizar as comunidades, e principalmente o Governo do Estado, para a necessidade do atendimento das reivindicações da classe que é mola mestra na construção das Universidades Estaduais da Bahia”, afirma a nota.

A pauta de reivindicações é composta de itens como: reposição de perdas salariais,regulamentação e aumento imediato do auxílio alimentação, reajuste de valores de gratificações, ampliação do quadro de cargos de técnicos e analistas universitários com realização de concurso público, destinação de 7% da receita líquida de impostos para os orçamentos das Universidades, reforma da lei 7176/97, entre outras.

Paralisação acontece um dia após o retorno ás aulas depois de 83 dias de greve.

Paralisação acontece um dia após o retorno ás aulas depois de 83 dias de greve.

“Assim sendo, em assembleia realizada na manhã, desta segunda-feira,10, a categoria dos técnicos da Universidade do Estado da Bahia – UNEB decidiu paralisar as atividades entre os dias 11 e 14 de agosto, como meio de ratificar a insatisfação frente ao silêncio dado pelo Governo ao elenco de reivindicações apresentadas pelo SINTEST. Com essa deliberação, os portões da Universidade do Estado da Bahia – UNEB estarão fechados e os técnicos convocados a participarem das mobilizações realizadas pelas quatro Universidades Estaduais.

Pedro Márcio garante que a paralisação acontece de forma simultânea em toda Bahia

Pedro Márcio garante que a paralisação acontece de forma simultânea em toda Bahia

Pedro Márcio Pinto de Oliveira, representante dos técnicos administrativos do Campus XIV da UNEB disse que será entregue já neste terça-feira uma pauta de reivindicação ao governador Rui Costa, pelos representantes do SINTEST – Sindicato dos Servidores da Educação do Terceiro Grau “e nós no interior vamos fazer o movimento de paralisação de todas atividades dos departamentos fechando os campus impedindo que toda ou qualquer atividade aconteça nos campus”, explicou Márcio Pinto.

Márcio garante que este movimento que vai acontecer em Coité vale para os 24 Campus da UNEB e das demais universidades do estado, mas sua atuação é direcionada ao movimento da UNEB campus XIV em Conceição do Coité.

Os técnicos administrativos da UNEB atuam em setores como secretariado, tanto na direção do Departamento quanto nos colegiados de cursos, setores como laboratório de rádio e TV do curso de Comunicação Social, Biblioteca, Almoxarifado, entre outros. Em Conceição do Coité são 29 técnicos administrativos.

Em reportagem recente do Calila, foi mostrado os prejuízos e transtornos de estudantes das mais distantes cidades da Bahia e até de outros estados em consequência de uma greve, muitos deles retornaram cientes do reinicio as atividades, só que já vivem nova frustração com essa paralisação e a incerteza do que está por vir.

Redação CN * informações técnicos administrativos – Fotos: Raimundo Mascarenhas



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.

  • + LIDAS