brasil

domingo, 21 de agosto de 2016 13:54

Ex-ministros de Dilma aderem ao impeachment e alegam fidelidade ao partido

Na última votação do processo, 21 senadores ficaram ao lado da presidente, contra 59 que se posicionaram a favor de seu afastamento.

Eduardo Braga deixou governo em abril

Eduardo Braga deixou governo em abril

Seis ex-ministros do governo de Dilma Rousseff (PT) devem votar contra a presidente afastada no processo de impeachment, previsto para começar no próximo dia 25 no Senado. Com o discurso de que a petista cometeu erros e de fidelidade aos partidos que integram, os senadores apontam, reservadamente, motivações pessoais para a decisão.

Entre os seis ex-ministros, quatro são do PMDB – Garibaldi Alves (PMDB-RN), Eduardo Braga (PMDB-AM), Marta Suplicy (PMDB-SP), Edison Lobão (PMDB-MA) – e dois do PSB – Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) e Eduardo Lopes (PRB-RJ). De acordo com a Folha de S. Paulo, caso eles votassem a favor de Dilma, ela só precisaria de mais um voto para barrar o impeachment definitivo.
O PMDB rompeu com a presidente afastada quando havia indícios de que o impeachment tinha chances reais de ser aprovado pela Câmara dos Deputados. Já o PSB deixou a base aliada antes da reeleição da petista, quando a legenda lançou a candidatura do ex-governador Eduardo Campos à Presidência. “O que me colocou no Senado foi a representação do povo do Amazonas e ele tem se manifestado claramente e majoritariamente em todas as pesquisas com relação ao afastamento.
Isso não significa que eu não respeite e não tenha consideração pessoal pela presidente”, alegou Eduardo Braga, ministro de Minas e Energia de Dilma até abril deste ano. Para Garibaldi Alves, que comandou a Previdência, julgar Dilma é “uma árdua missão”. Marta, ex-petista que comandou a pasta de Cultura, defendeu a saída de Dilma já na primeira votação que o Senado fez no processo.
 Na última votação do processo, 21 senadores ficaram ao lado da presidente, contra 59 que se posicionaram a favor de seu afastamento. Para não sofrer impeachment, ela precisa do apoio (ou ausência) de pelo menos 28 senadores.
Bahia Notícias


COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.

%d blogueiros gostam disto: