bahia

domingo, 09 de outubro de 2016 15:47

Território do sisal – PP elegeu 15 vereadores e Marcinho vice-prefeito de Santaluz, o único que irá ocupar um cargo no executivo pelo partido

Em Barrocas onde o PP tinha candidato a prefeito e em São Domingos, perdeu para o PMDB

Marcinho participou pela primeira vez de uma disputa eleitoral | Foto: Raimundo Mascarenhas

Marcinho participou pela primeira vez de uma disputa eleitoral | Foto: Raimundo Mascarenhas

O Partido Progressista (PP) no território sisal, formado por 20 municípios, tem um colégio eleitoral de 458.859 votos, dos quais 340.878 eleitores compareceram as urnas, nesta eleição. A sigla conseguiu eleger apenas o empresário Márcio Evangelista de Oliveira, conhecido por Marcinho da CLN, como vice-prefeito de Santaluz na chapa encabeçada pela empresária Quitéria Carneiro Araújo  com 49,70% dos votos válidos. O PP apresentou candidatos a prefeito em Barrocas e São Domingos, mas não obteve êxito, embora tivessem expressiva votação. Em São Domingos o candidato Ilário Carneiro perdeu por apenas 19 votos.

Márcio Oliveira disse que vai contribuir para ampliar ainda mais a base do partido na região | Foto: Raimundo Mascarenhas

Márcio Oliveira disse que vai contribuir para ampliar ainda mais a base do partido na região | Foto: Raimundo Mascarenhas

Marcinho, 36 anos, empresário do ramo de serviços, construção e transporte, ligado politicamente à família Negromonte desde 2009, quando ingressou no Partido Progressista, depois de deixar o PMDB, único partido que pertenceu até aquele ano, disse que começou a fazer política sem pretensão de ser candidato a cargo eletivo e no ano seguinte assumiu coordenação no município de Santaluz, por indicação de Mário Júnior, candidato a deputado estadual e Mário Negromonte, federal na época. “Obtivemos naquela eleição um resultado muito bom, Mário Júnior recebeu 841 votos, levando em consideração que tinha um candidato a deputado da cidade (Joélcio) e o então prefeito Júnior do Max também apoiando outro candidato. Para deputado federal, Mário Negromonte obteve 1.357 votos”, lembrou Marcinho.

Marcinho seu pai Zé Ailton ex-vereador, Mário Junior e Junior do Max

Marcinho seu pai Zé Ailton ex-vereador, Mário Junior e Junior do Max

De forma crescente, o PP apresentou seis candidatos para disputar a eleição municipal de 2012 e conseguiu eleger o vereador Antonio Carlos Teixeira da Silva, conhecido por Branco, que obteve 952 votos e o candidato Horácio Santos de Jesus, (Louro do Rio Verde), ficou na primeira suplência com 660 votos.  “Em 2014 acompanhamos a orientação política do nosso líder politico para deputado estadual, votamos em Alan Sanches e para federal trabalhamos o nome de Mário Junior e conseguimos repassar 2.551 votos com ajuda dos amigos”, lembrou mais uma vez  Márcio Oliveira.

Marcinho (E) Jorge Martins e Danda em Brasilia lutado pela regulamentação dos garimpos

Marcinho (E) Jorge Martins e Danda em Brasilia lutado pela regulamentação dos garimpos

Com a conhecida “janela partidária” no inicio deste ano, os vereadores Adão Dias do Carmo (Danda – eleito em 2012 pelo PCdoB com 988 votos) e Jorge Antonio Martins da Silva (Jorge Delegado – eleito em 2012 pelo PTB com 856) ambos, migraram para o PP e Branco deixou a legenda e foi para o PSD. Na eleição de domingo, dia 02, Danda foi reeleito com 1.067 votos e Louro do Rio Verde eleito com 1.016. O partido também conseguiu colocar na primeira suplência da coligação “É a vontade do Povo”, formada pelo PSD, PP e PDT,Rosalvo Pereira dos Santos Junior, “Vavinho”, como 645 votos. O PP obteve 3.421 votos de legenda.

A coligação obteve 13.291 votos, elegendo além de Danda e Louro do Rio Verde, Peu (PSD – 1372 votos), Leo Reis (PSD -1.130), Jeová (PSD – 1.107), Branco (PSD – 1.047), Miraldo (PDT – 1.012) e Mailson do Pereira (PSD – 981). Marcinho é o único membro do PP a ocupar um cargo de executivo no Território do sisal, num universo de 458.859 eleitores e no domingo (02), sendo que 340.878 deles foram às urnas.

Marcinho, Mário e José Ailton que foi superintendente da Codevasf com por indicação

Marcinho, Mário e José Ailton que foi superintendente da Codevasf com por indicação

Em Santaluz, 30.094 eleitores estavam aptos a votar e 24.003 (94,90%) foram a urnas. 11.930 (49,70%) votaram em Quitéria de Júnior (PSD), que encabeçava a chapa que tinha Marcinho como candidato a vice-prefeito. Padrinho político de Marcinho, o deputado federal Mário Junior, durante um comício da coligação garantiu recursos no valor de R$ 1 milhão para reforma do Hospital R$ 500 mil para calçamento das ruas do Bairro São Jorge, além de lutar para regulamentar o garimpo, importante fonte de renda do município.

“Nossa luta agora é fortalecer o partido no território do sisal, expandir o mandato de Mário Junior, obter um bom resultado em 2018 e ampliar o número de prefeitos e vereadores em 2020. Vamos trabalhar e trabalhar”, concluiu Marcinho.

PP no território do sisal

Tita e Cacá Leão

Tita e Cacá Leão

O partido tentou a Prefeitura de Barrocas com a candidatura a prefeito do servidor público e atual vice-prefeito Joilton Avelino de Queiroz, mais conhecido por Tita de Roque, mas foi derrotado pelo empresário José Jailson Lima Ferreira (PMDB) por 448 votos de frente. A legenda do partido obteve em Barrocas 3.235 votos e elegeu Rupiado (517 votos), Jeny da Minação (361) e Cenir do Ouricuri (361), todos ligados à base do vice-governador João Leão e ao deputado Cacá Leão, que por mais de uma vez estiveram na cidade durante a campanha.

Ilário perdeu por apenas 19 votos

Ilário perdeu por apenas 19 votos

Em São Domingos o PP mudou de “lado” em relação à eleição de 2012 e perdeu o pleito por 19 votos para Izaque Júnior (PMDB). Há quatro anos atrás o partido venceu a eleição com Domingos Nafitel Ramos Oliveira, encabeçando a chapa “11”, que obteve 3.053 votos e o petista Hildebrando Neto Rios Carneiro, 2.827 votos e elegeu dois vereadores, dentre eles Antonio Jose Rios Nery, que faleceu em março de 2015, assumindo Gildasia Carneiro Dias (Dai), também do PP.

Em 2016 o PP passou a ser comandado pela “família de Flory”, lado oposto ao prefeito Domingos Nafitel e indicou o vereador Ilário Antonio Neto Rios Carneiro, que deixou o PR e migrou para PP, por onde saiu candidato a prefeito. A legenda só elegeu para vereadora Givalda Vieira com 370 votos, a penúltima entre os eleitos.

Na filiação de Nenca em Araci houve grande festa,mas ela ficou inelegível

Na filiação de Nenca em Araci houve grande festa, mas ela ficou inelegível | foto: Raimundo Mascarenhas

Além dos vereadores eleitos em Santaluz, Barrocas e São Domingos, o PP terá vereadores nas Câmaras de Retirolândia (Nayran de Dió – 621 votos), Queimadas (Valda – 722), Monte Santo (Paulina – 880), Araci (Roberto do Sem Freio – 1.108), Teofilândia (Carlinho de Dãozinho – 747), Serrinha (Alex da Saúde – 875), Biritinga (Josemir da Saúde – 439 e Nen de Zé de Sena – 391 votos) em Ichu(Eugênio Carneiro – 261  votos). Com exerção de Araci, a maioria destes candidatos segue a orientação do vice-governador João Leão.

Votos nulos – O PP não obteve sorte com a migração de Maria Edneide Torres Silva Pinho, mais conhecida por Nenca, que foi derrotada em 2012 no PSD pelo atual prefeito Silva Neto (PDT) e na eleição desde ano, foi derrotada mais uma vez. Os 12.065 votos obtidos não foram válidos por está inelegível e mesmo assim foi para as urnas.

Redação CN

 



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.