bahia

quinta-feira, 24 de novembro de 2016 17:05

Camaçari: obra em farmácia não tinha registro de responsabilidade técnica no Crea

Conselho enviou equipe de fiscalização para Camaçari e aguarda laudo técnico; Pague Menos nega existência de obra

rtemagicc_pague_menos_mauroan_01-jpeg

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Bahia (Crea-BA) informou, na manhã desta quinta-feira (24), que não há nos registros do órgão nenhuma anotação de responsabilidade técnica sobre a obra na farmácia da rede Pague Menos da Avenida Getúlio Vargas, em Camaçari, onde um incêndio deixou pelo menos nove mortos e 14 feridos na tarde da última quarta-feira (23).

Mesmo assim, uma equipe de fiscalização está sendo enviada até o local para avaliar as condições do imóvel. O Crea-BA também aguarda o laudo técnico do Departamento de Policia Técnica (DPT) para verificar o que provocou o desabamento da laje.

Brigadista da Defesa Civil de Camaçari, Adeval Costa disse ao CORREIO que todo estabelecimento precisa ter um alvará de funcionamento. “Se houve uma obra aqui, eles tinham que ter um outro alvará, o de reforma”, disse.

De acordo com a Secretaria de Governo de Camaçari, a farmácia Pague Menos tinha alvarás de funcionamento e sanitário regulares, mas não havia na Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur) registro de solicitação de alvará de reforma. Também não há na Sedur nem na Defesa Civil nenhuma denúncia sobre obra irregular.

“Não havia obra”, diz farmácia
Apesar dos relatos de que havia uma obra de manutenção na farmácia, o assessor jurídico da Pague Menos, Geraldo Gadelha, nega que houvesse uma reforma no prédio. “Ela não estava em obras. Estava previsto uma parada no sábado. Camaçari teve dois pequenos dilúvios na semana que passou e isso gerou uma infiltração para dentro da loja e nós íamos recuperar totalmente o telhado por outros motivos. Não sabemos absolutamente o que aconteceu, porque é impensável você admitir que uma laje caia por causa de uma infiltração, mas foi o que aconteceu”, disse.

Gadelha afirmou que uma equipe fazia uma movimentação nas telhas, para conter uma infiltração e que, para isso, não era necessária uma autorização para obra. “A manutenção que estava acontecendo era na telha, não precisa de autorização. Nós queremos que o laudo pericial do Corpo de Bombeiros venha e nós arcaremos com a responsabilidade do que esse laudo apresentar.Nós estávamos fazendo um movimento nas telhas por conta da chuva que houve. Inclusive, no sábado e no domingo já estava previsto fechar para fazer o retelhamento”, acrescentou.

Correio24H



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.