bahia

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016 21:57

Família contesta versão publicada pela mídia sobre coiteense que caiu de camarote no Festival de verão e faz apelo

Jovem continua na UTI do Hospital Geral do Estado - HGE e segundo um áudio que circulou a pedido da mãe do jovem já demonstra reação, mas se estado de saúde inspira muito cuidado.

Jovem que sofreu o acidente é o que aparece de camiseta preta na foto

Familiares do coiteense Guilherme Carvalho de 21 anos, estiveram na redação do Calila Notícias para contestar a versão publicada pela mídia sobre o acidente que aconteceu no camarote do Festival de Verão de Salvador e fazer um apelo a população.

De início, as informações que chegaram a família diziam que o jovem tinha saltado de um prédio que media cerca de 12 metros. “Aquilo não entrou na minha cabeça, ninguém arrisca a sua vida desse jeito, a não ser que queira se suicidar. O que não era o caso do meu sobrinho”, disse o tio da vítima.

Silvan afirmou que após essa inquietação vêm buscando respostas, juntamente com a família, para ter certeza sobre o que aconteceu. Segundo ele, uma das versões que chegou até a família é que o jovem tenha sido espancado e após as agressões, foi jogado do prédio. Guilherme estava com um primo de prenome Eduardo. O mesmo afirmou que houve uma confusão com dois grupos de rapazes dentro de um banheiro e que eles estavam em um desses grupos. No meio da confusão, os seguranças da festa chegaram, Eduardo conseguiu sair do local, mas Guilherme não teve a mesma sorte. Depois disso, a família soube do acontecido.”Não temos certeza do que realmente aconteceu. Por isso que estamos procurando, quase implorando para pessoas que estavam no camarote no momento que Guilherme caiu para testemunharem na Polícia Civil e assim ficarmos mais aliviados quanto a isso”, reforçou.

Guilherme Carvalho, que estuda engenharia em Salvador, sofreu várias fraturas, inclusive no crânio. O mesmo está sedado e não há previsões médicas sobre os progressos dele, pois também depende de como o estudante vai reagir após o término dos procedimentos médicos.”Pedimos a oração de todos pela recuperação dele, mas também precisamos de testemunhas para resolver esta situação. Já pagamos o camarote para termos o mínimo de segurança e o que recebemos foi meu sobrinho quase sem vida”, afirmou o tio.

A família solicitou as imagens da festa para a organização do Festival, porém não tiveram sucesso, pois de acordo com eles, o fato aconteceu em um ‘ponto cego’.

Getúlio Guimarães, primo da vítima, fez mais um apelo aos coiteenses. Pediu que as pessoas não espalhem boatos de redes sociais sobre o estado de saúde do jovem. “Hoje recebi uma notícia pelo WhatsApp, que meu primo tinha falecido. Entrei em desespero. Até ter certeza que ele estava vivo, foi muito doloroso. Já estamos passando por esse momento difícil, lidar com essas situações dói ainda mais”, falou.

Para as pessoas que estavam no camarote e presenciaram o fato, a família faz o pedido e afirma que as testemunhas não precisam ter seus rostos expostos. “Aconteceu conosco, mas poderia ter sido com qualquer pessoa”, disse Getúlio.

Guilherme Carvalho é filho da empresária Ana Maria, dona de uma panificadora, localizada em Conceição do Coité. As possíveis testemunhas deverão entrar em contato pelos números (75) 9 9148-5580 ou 9 9277-5483.

Thaise Ewbank



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.

  • + LIDAS