politica

quarta-feira, 01 de fevereiro de 2017 19:26

Depois de dez anos Marcelo Nilo deixa a presidência e Ângelo Coronel assume o comando do poder legislativo da Bahia

Após ser eleito, Coronel falou a imprensa e destacou alguns compromissos com os parlamentares, a exemplo de agilizar a votações de projetos de autoria dos deputados e que estão paralisados há muitos anos e garantiu deixar as sessões das quartas-feiras para estas pautas.

Coronel comemora sua vitória após confirmação do resutado.

O deputado Ângelo Coronel (PSD), candidato único à presidência da Assembleia Legislativa (AL-BA), obteve votos 57 validos, 04 nulos e 01 branco, dos 62 deputados presentes na tarde desta quarta-feira (1°) no plenário da Assembleia Legislativa, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), onde aconteceu a eleição para escolha da mesa diretora para o Biênio 2017/2018. Além de Coronel, foram eleitos Luiz Augusto (PP) como 1º vice-presidente, Carlos Geilson (PSDB) como 2º vice-presidente; Jânio Natal (PTN) como 3º vice-presidente; Manasses (PSL) como 4º vice-presidente; Sandro Régis (DEM) como 1º secretário; Aderbal Caldas (PP) como 2º secretário; Fabrício Falcão (PCdoB) como 3º secretário; e Luciano Simões Filho (PMDB) como 4º secretário.

Com a desistência do concorrente, Coronel obteve 57 dos votos, entre 62 votantes no plenário.

O Partido dos Trabalhadores (PT) foi à única sigla a não retirar o apoio ao então candidato à reeleição Marcelo Nilo (PSL) antes da renúncia da quinta tentativa de permanecer no cargo e também ficou fora da composição da mesa, apesar do deputado Paulo Rangel (PT) requerer a proporcionalidade das bancadas na formação da Mesa Diretora, segundo ele, amparado no regimento interno.

Rangel, antes da votação para presidente, usou da palavra e confirmou que os do PT estavam fechados com a candidatura de Marcelo Nilo a reeleição da presidência e com sua desistência orientou, na qualidade de líder, seus paris a votar com Ângelo Coronel. Justificando a ausência de petistas em sua chapa, Coronel falou ao CN que eles apoiaram a reeleição de Marcelo Nilo até o último minuto e, mesmo ao longo da campanha, não conseguiu espaço para alguns partidos na composição da chapa, pois estava comprometido e não havia mais espaço o PT e mesmo assim, segundo o novo presidente da ALBA, tentou reverter esse quadro tentando fazer acordos com outras bancadas para que algum nome fosse trocado por um representante do Partido dos Trabalhadores, mas não obteve sucesso.

Marcelo Nilo, Alex da Piatã e Rosemberg conduziram o processo de votação.

Imaginando será candidato à reeleição, Marcelo Nilo chegou a divulgar que sessão seria presidida pelo deputado decano Reinaldo Braga (PSL), pois ficaria impedido por ser candidato, porém acabou por presidir a sessão que elegeu Ângelo Coronel (PSD) como seu substituto no comando da Casa. Os envelopes onde foram depositadas as cédulas de votação foram rubricados pelos deputados Alex da Piatâ (PSD) e Deputado Rosenberg Pinto (PT).

Logo no inicio e próximo do final da chamada nominal dos deputados, o presidente Marcelo Nilo necessitou se ausentar da mesa e por duas vezes foi substituído pelo Social Democrata Alex da Piatã, que secretariou a sessão.

Emocionado, Marcelo Nilo (PSL), foi aplaudido enquanto votava e no final da sessão usou da palavra, parabenizou os deputados que participaram da sessão que ele considerou historia e em especial os 14 parlamentares que fazem parte da mesa diretora. Ele também relatou que foram dez anos a frente da casa sem que houvesse um denuncia e neste período recebeu a todos os segmentos da sociedade que procuraram a casa da cidadania.

Após ser eleito, Coronel falou a imprensa e destacou alguns compromissos com os parlamentares, a exemplo de agilizar a votações de projetos de autoria dos deputados e que estão paralisados há muitos anos e garantiu deixar as sessões das quartas-feiras para estas pautas. Ele também quer acabar com a reeleição para presidente. Detalhes na reportagem de Vilmara de Assis.

A votação para escolha da 3ª vice-presidências ocorreu de forma separada, pois houve disputa para os cargos entre Alex Lima e Jânio Natal, ambos do PTN, resultando na vitória de Alex Lima com 34 votos e Jânio Natal obteve 24 votos. Para 4ª vice-presidência, chegou a ensaiai uma disputada entre os deputados Manassés (PSB) e Euclides Fernandes (PSL), que retirou a candidatura momentos antes da votação e Manasses obteve 50 votos. A oposição comemorou o resultado da eleição principalmente a presença do deputado Sandro Reges (DEM), na 1º secretaria da mesa que obteve 55 votos dos 62 votantes.

Nova mesa diretora é assume após o pleito.

Mesmo candidatos únicos, a votação aconteceu de forma individual e foram eleitos como 1º vice-presidente Luiz Augusto (PP), que recebeu 54 votos; Com 57 votos, Carlos Geilson (PSDB) foi eleito 2º vice-presidente; Aderbal Caldas (PP) recebeu 52 votos e será 2º secretário e o comunista Fabrício Falcão passou a ocupar a 3ª secretaria, com 50 votos. Luciano Simões Filho, do PMDB, com 52 votos, será o 4º secretário e os suplentes são Augusto Castro (PSDB), Heber Santana (PSC), Carlos Ubaldino (PSD), Fabíola Mansur (PSB) e Ivana Bastos (PSD). A sessão terminou às 20h com a posse dos novos membros da mesa e palavra do presidente recém-eleito Ângelo Coronel.

Redação CN | Fotos: Teones Araújo



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.