agricultura

terça-feira, 21 de março de 2017 17:58

Coité Rural inaugura Central de Distribuição e passa a atender a maioria das cidades da Bahia; foco agora é o alimento para o rebanho

Além da venda no varejo, a Coité Rural está firme na venda e entrega em quase toda a Bahia.

Coité Rural fica no largo da Igreja Matriz | Foto: Raimundo Mascarenhas

A Coité Rural em Conceição do Coité, fundada em 1999 pelo empresário Ricardo Ferreira, vem se destacando ano após ano, como a maior loja do ramo agropecuário de todo território do sisal.

Segundo Ricardo Ferreira, o maior proposito foi criar uma loja para atender o homem do campo, produtores e fazendeiros, oferecendo maior  variedade e negociando com fornecedores para poder repassar os produtos com menor preço e maior prazo, e tem conseguido, pois, a procura pela Coité Rural vem  se expandindo e agora ampliou o atendimento praticamente para quase todo estado da Bahia.

Ricardo Ferreira diz que oferece produtos no período da estiagem, mas prefere vender com a chuva, pois, o produtor está mais contente | Foto: Raimundo Mascarenhas

Ainda de acordo com Ferreira, para atender a demanda, resolveu construir um novo galpão com 2 mil metros quadrados para funcionar a Central de Distribuição da Coité Rural, às margens da BA 411 saída Conceição do Coité – Distrito de Salgadália.

Ouça a entrevista concedida por Ricardo ao Calila na reportagem com Vilmara de Assis   

 Coité Rural vende no atacado e varejo

Farelo de soja, trigo e milho tem sido alternativa para aqueles que já não tem mais nem o mandacaru | Foto: Raimundo Mascarenhas

O gerente da Coité Rural José Israel (Leo)  disse que lamentavelmente por conta da seca muita gente já se queixa que até o mandacaru está se acabando e para alimentar o rebanho tem procurado os farelos de soja, trigo, milho e a torta de algodão em sacas de 30 e 50 kg, cujos preços variam entre R$ 32,50 (farelo de trigo) e R$ 87 (torta de algodão).

Na Coité rural o produtor também pode adquirir a máquina que serve para triturar o mandacaru, a palma, o milho a cana de açúcar entre outros alimentos animal | Foto: Raimundo Mascarenhas

Segundo Leo, a empresa sabe da dificuldade que o homem do campo está enfrentando e tem procurado oferecer produtos de qualidade, preços baixos e bom prazo, pois, vende em até 10 vezes sem juros no cartão de credito.” A depender da quantidade a gente manda levar em qualquer cidade”, garante Leo.

Área interna da Central de Distribuição | Foto: Raimundo Mascarenhas

Leo reforçou o que disse em entrevista Ricardo Ferreira, ” a gente está com as portas abertas oferecendo produtos para o tempo chuvoso e para seca, mas nossa vontade era estar comercializando produtos que atendam necessidade após chuva”, garantiu.

Leia também

Consequências da Seca I – “Michel Temer anunciou e até agora nada do milho subsidiado pela CONAB”, desabafa sindicalista Teodomiro Paulo

Consequências da Seca II – Vaqueiro trabalha até 17 horas por dia para não deixar o gado passar fome neste período

Consequências da seca III – População rural do território do Sisal vive estado de calamidade. Está faltando comida até para humanos

Comunidade de Jiboia em Retirolândia reverencia São José e pede mais chuva

 

Redação CN



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.