bahia

segunda-feira, 09 de outubro de 2017 09:11

Dono de fábrica de suplementos alimentares é alvo de operação da PF

Os suplementos eram vendidos em sua rede própria de lojas, em Feira de Santana e Salvador, e em outras lojas do ramo em todo o Nordeste.

A Polícia Federal, em conjunto com a Vigilância Sanitária e Ambiental do Estado (Divisa), deflagrou na manhã desta segunda-feira (9) a Operação Hedonikos, que tem como alvo um empresário de Feira de Santana que fabricava suplementos alimentares de forma clandestina, entre outros crimes.

Os produtos eram distribuídos para todo o Nordeste. Estão sendo cumpridos cinco mandados de busca e apreensão nas cidades de Feira de Santana e Salvador, um mandado de prisão preventiva, três de condução coercitiva, além de seis de sequestros de bens e bloqueio de valores em contas bancárias.

Todas as ordens judiciais foram expedidas pela 3ª Vara Federal de Feira de Santana.

De acordo com a PF, a investigação começou há cerca de três meses, para apurar fraudes praticadas pelo empresário contra a Caixa Econômica Federal, por meio da abertura de contas bancárias com documentos falsos e consequente obtenção de empréstimos fraudulentos.

Verificou-se que o empresário conseguiu alterar seu nome após uma decisão judicial de reconhecimento de paternidade e começou a usar o seu nome antigo para cometer diversas fraudes: além da abertura de contas, ele constituiu empresas com nome, RG e CPF inativos, o que permitiu calote a bancos e inadimplência de tributos.

Somente com a Caixa Econômica Federal, a dívida já passa de R$ 6,5 milhões. Durante as investigações, a PF descobriu também que diversas empresas montadas pelo investigado tiveram a utilização de “laranjas”, que atuavam na fabricação e comercialização clandestina de suplementos alimentares – os produtos eram fabricados sem qualquer autorização dos órgãos de vigilância sanitária competentes.

Os suplementos eram vendidos em sua rede própria de lojas, em Feira de Santana e Salvador, e em outras lojas do ramo em todo o Nordeste. Com os crimes, o empresário conseguiu formar um patrimônio significativo, com a compra de imóveis, veículos de alto padrão e uma lancha.

Os bens não eram declarados às autoridades fazendárias, porque também estavam registrados em seu antigo nome ou em nome de terceiros.

Bahia Notícias



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.