colunas

terça-feira, 10 de Abril de 2018 11:12

É proibido proibir – Dom Itamar Vian

Até pouco tempo, a criança tinha pouca “autoridade” na família. Hoje, em contrapartida, ela manda mais do que deveria mandar. Isso é um erro grave, pois dizer “não” faz parte da boa educação.

É proibido proibir. Esse foi o grito de guerra  da  Revolução de Maio de 1968, quando os jovens – enfants enragés –  pararam a Franca durante semanas. O  presidente De Gaulle  devolveu a tranqüilidade ao País, mas o espírito da Revolução de Maio ganhou o mundo.

ATÉ POUCO tempo, a criança tinha pouca “autoridade” na família. Hoje, em contrapartida, ela manda mais do que deveria mandar. Isso é um erro grave, pois dizer “não” faz parte da boa educação. É necessário fazer os filhos entenderem que nem tudo é como eles pensam ou querem. Há crianças, hoje, que de seus 6 ou 7 anos, proclamam:  Mãe, você não manda em mim! Pior do que isso é quando os pais aceitam essa tirania infantil.  A tirania se manifesta também na escola, quando o professor(a) parece ser o último a mandar. E muitos país, autorizam a rebeldia dos filhos, colocando-se contra os professores.

PAIS E filhos não são iguais. Não se trata de autoritarismo, mas sim, de entender os papéis de cada um. O pai é autoridade, guia, legislador, orientador etc. Não adianta querer ser “amiguinho” do seu filho tratado-o em pé de igualdade. Aí vem o centro da questão: Lembre-se de que ser amigo do seu filho é ajudá-lo a ser pessoa certa para si mesmo e para a sociedade. Há necessidade de fazê-los compreender que têm deveres e responsabilidades e esses os ajudarão a serem cidadãos bons, livres e honestos

QUANDO os pais não castigam seus filhos, a vida se encarregará de fazê-lo, diziam  os antigos. No passado se praticavam castigos corporais, humilhantes e duros. Hoje, todos estão contra este tipo de atitude. No entanto, os pais têm obrigação de apontar limites aos filhos. Devem indicar o certo e o errado, o direito e o dever, pressupostos normais para a vida social. Quando os limites não são fixados  estamos  criando  egoístas  e  irresponsáveis.

OS PAIS têm o dever de dizer Sim e Não aos  filhos, na hora certa. Muitas vezes dizer Não é um gesto de ternura; outras vezes dizer Sim é omissão. Amar é dizer Sim e Não na hora certa. É preciso, jamais perder a autoridade, a serenidade e a dignidade, nem reagir de modo absurdo ante a rebeldia do filho, mas ter equilíbrio para controlar a situação. Haja o que houver, cabe aos pais manter aberta a porta do diálogo. Podem divergir, mas devem continuar amando seus filhos.

+ Itamar Vian

Arcebispo Emérito

[email protected]

 

 



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.