bahia

quarta-feira, 15 de agosto de 2018 14:25

Mulher e duas filhas morrem em menos de 15 dias na BA após mal-estar com sintomas parecidos; polícia investiga caso

Vítimas chegaram a ser levadas para hospitais, com muita salivação e hiperglicemia, mas não resistiram. Pai das meninas passou mal no enterro da esposa.

Mãe e filhas morreram após mal-estar (Foto: Reprodução/TV Bahia)

Uma mulher e duas filhas dela, uma 2 e outra de 5 anos, morreram em menos de 15 dias, em momentos diferentes, após sentirem um mal-estar com sintomas parecidos, na cidade de Maragogipe, no recôncavo da Bahia. O caso está sob investigação da Polícia Civil.

De acordo com a polícia, a primeira vítima foi Greicy Kelly Santos da Conceição, de 5 anos. Ela passou mal no dia 30 de julho e chegou a ser levada para o um hospital na cidade de São Félix, ao lado de Maragogipe, mas não resistiu.

Em seguida, no dia 6 de agosto, a irmã dela, Ruth Santos da Conceição, de 2 anos, também passou mal. Na segunda-feira (13), a mãe das meninas, Adriane Ribeiro Santana Santos, também teve um mal-estar. As duas foram levadas para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Maragogipe, mas também não resistiram.

Segundo os dois médicos que atenderam a família, as vítimas salivavam muito e apresentavam um quadro de hiperglicemia (excesso de açúcar no sangue) quando chegaram às unidades de saúde. Todos os três casos ocorreram em segundas-feiras seguidas.

“A segunda filha do casal chegou na unidade de pronto atendimento praticamente sem reação, bastante secretiva, com saliva. A gente tentou todo o protocolo, sem êxito. Sete dias depois, foi a mãe. A mãe chegou com muita saliva, suor, estremidades bastante frias. Tentamos fazer de tudo também, mas não conseguimos”, contou o médico Sávilo Santana, que atendeu as vítimas na UPA.

Conforme informações do delegado Marcos Veloso, titular de Maragogipe, a polícia já periciou a casa onde mãe e filhas moravam e encontrou comprimidos de cloridrato de metformina – medicamento usado por pessoas com diabetes. O material foi encaminhado para perícia.

A situação é investigada. Os corpos das vítimas foram periciados e os laudos devem apontar as causas da morte. A polícia aguarda os resultados dos exames, que devem sair em 30 dias.

“Suspeito, nós não temos nenhum. A investigação está bem no início. Foram três mortes, todas na segunda-feira. Fato estranho. Tudo indica que foi envenenamento”, contou o delegado Marcos Veloso.

Nesta terça-feira (14), Adriane Ribeiro foi enterrada. O sepultamento foi realizado no povoado de Nagé. Durante a cerimônia, o marido dela e pai das crianças, identificado como Jeferson Brandão, também passou mal. Ele foi socorrido e levado para a UPA de Maragogipe. Não há detalhes sobre o estado de saúde do homem.

G1ba



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.