politica

quarta-feira, 03 de outubro de 2018 09:30

Candidatos de DEM e PSD pedem voto em Bolsonaro e consolidam debandada

A visita aconteceu na mesma semana em que Ronaldo, num comício, fez uma enquete entre eleitores perguntando em que votariam para presidente. A plateia só reagiu com força quando o nome de Bolsonaro foi citado e o candidato do DEM emendou: "Essa pesquisa é a que vale."

Na Bahia, Zé Ronaldo declarou voto no candidato | Foto: Max Haack/ Ag. Haack/ BN

Pelo menos quatro candidatos a governador de partidos como DEM, PSD e Novo aproveitaram o debate das afiliadas da Rede Globo na terça-feira (2) para pedir votos em Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República.

O movimento consolida a debandada de aliados de outros presidenciáveis em direção à candidatura do capitão da reserva, que já havia recebido apoio de candidatos a governador de outros partidos como Índio da Costa (PSD), no Rio, e Gelson Merísio (PSD), em Santa Catarina.

Na terça (2), durante o debate, anunciaram voto em Bolsonaro os candidatos a governador do Distrito Federal Alberto Fraga (DEM) e Rogério Rosso (PSD). Ambos patinam nas pesquisas e tentam pegar carona da popularidade do presidenciável do PSL -que chega a 39% das intenções de voto na capital federal- para tentar chegar ao 2º turno.

Fraga já era aliado de Bolsonaro, mas havia anunciado apoio a Geraldo Alckmin (PSDB) no em agosto, logo após firmar aliança com os tucanos no DF. Já Rosso, cujo partido nacionalmente apoia Alckmin, havia anunciado apoio a Alvaro Dias (Pode) no início da campanha.

A declaração de Rosso coloca em situação delicada o senador Cristovam Buarque (PPS), que tenta a reeleição e apoia a candidatura de Rosso no DF e Marina Silva (Rede) para presidente.

Na Bahia, o candidato a governador da Bahia José Ronaldo (DEM) também pediu aos seus eleitores que votassem em Bolsonaro já no 1º turno.

“Domingo eu vou votar para derrotar o PT. E eu estou vendo nas ruas do Brasil um desejo de mudança. E esse desejo de mudança é Bolsonaro. Portanto, o voto domingo é o voto útil para a gente derrotar o PT. Vamos colocar o PT para fora”, afirmou Ronaldo.

Após a declaração de voto de Ronaldo, o prefeito de Salvador ACM Neto (DEM) -que é um dos coordenadores da campanha de Alckmin- se disse surpreendido.

“Quero deixar registrado que esta não é a minha posição e nem a do Democratas. Seguimos trabalhando firme para eleger Geraldo Alckmin”.

Apesar da declaração de surpresa do presidente do DEM, o movimento de aproximação entre o partido e Jair Bolsonaro que já vinha se delineando na Bahia nas últimas semanas.

Há cerca de dez dias, o senador Magno Malta (PR), um dos aliados mais próximos de Bolsonaro, visitou a Bahia e anunciou o apoio do capitão da reserva a José Ronaldo.

Publicidade

A visita aconteceu na mesma semana em que Ronaldo, num comício, fez uma enquete entre eleitores perguntando em que votariam para presidente. A plateia só reagiu com força quando o nome de Bolsonaro foi citado e o candidato do DEM emendou: “Essa pesquisa é a que vale.”

Com a aproximação, o DEM baiano atrai os votos antipetistas na Bahia. Segundo pequisa Ibope divulgada há uma semana, Ronaldo tem apenas 11% das intenções de voto contra 61% do governador Rui Costa (PT). Já Bolsonaro chega a 17% entre os baianos contra apenas 5% de Alckmin.

Em Minas Gerais, foi o candidato do Novo, Romeu Zema, quem pediu votos em Bolsonaro, mencionando também o presidenciável do seu partido, João Amoêdo.

“Aqueles que quiserem mudança podem votar em candidatos diferentes, ou João Amoêdo ou Jair Bolsonaro”, disse.

Em entrevista à imprensa após o debate, mudou de versão e afirmou que, na verdade, estava pedindo aos mineiros que votam em Amoêdo e Bolsonaro para que votem nele para governador.

“Os eleitores do Bolsonaro têm geralmente proximidade muito grande com as nossas propostas”, completou.

Bahia Notícias



COMENTÁRIOS

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores, desta forma não representa a opinião do Calila Noticias. Contamos com o bom senso e educação dos nossos internautas. O Calila Noticia, poderá remover sem aviso prévio qualquer comentário que seja considerado ofensivo e contenha palavras de baixo calão.